S. BENTO PADROEIRO DE VIZELA...11 de JULHO. SEJA BEM VINDO

Moreirense corre risco de descida de divisão

"O caso do Moreirense, que esta tarde vai ser discutido na Liga de Clubes, data de 2012, o Ministério Público acusou o clube de seis crimes de corrupção ativa e, caso seja considerado provado, a continuidade do emblema minhoto na I Liga pode estar comprometida.
Vídeo RTP

"De acordo com a acusação, na reta final da temporada 2011/2012, que resultou na subida do Moreirense à I Liga, terão sido contactados seis jogadores do Santa Clara e da Naval com o objetivo de facilitarem nos jogos contra o Moreirense.

Os jogadores abordados foram Lourenço e Paulo Grilo, do Santa Clara, e ainda João Pedro, Hugo Santos, Manuel Godinho e Williams, da Naval 1.ª de Maio.

Lourenço, João Pedro, Hugo Santos e Manuel Godinho recusaram a verba oferecida, de 5 mil euros. Segundo a acusação do Ministério Público, o único jogador que aceitou a oferta dos ex-jogadores ligados ao Moreirense foi Williams (jogador atualmente do Fafe).
O Ministério Público diz mesmo, na acusação, que foi fácil corromper o brasileiro.

A direção da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) está reunida, a título extraordinário, para debater as investigações sobre corrupção na II Liga e os pressupostos financeiros de participação nas competições profissionais.

Fonte ligada a um dos processos disse à Lusa que está a ser analisada a questão da detenção de 15 pessoas no sábado por suspeitas de viciação de resultados na II Liga, bem como o caso do Moreirense em 2012, também no segundo escalão.

No sábado, a Polícia Judiciária deteve quatro jogadores do Oriental e outros tantos da Oliveirense, o presidente e um diretor do Leixões e outros cinco envolvidos na alegada manipulação, associada a apostas desportivas.

Os salários em atraso são vistos por alguns agentes do futebol como fator que fragiliza os jogadores e facilita casos de corrupção, razão pela qual a questão dos pressupostos financeiros de participação nas competições profissionais também esteja em debate.

IN OBSERVADOR