27 agosto - FC Vizela-Oliveirense, este domingo, 17h00. Força Vizela

"Policia Judiciária vigiou dirigentes a combinar resultado do Penafiel-Oriental desde um quarto do hotel Bienestar em Vizela"


A edição de hoje do Correio da Manhã avança que a corrupção à volta do jogo Penafiel-Oriental, integrada na acção e investigação judicial de combate aos resultados fraudulentos do futebol denominada" Jogo Duplo" nasceu num quarto do hotel vizelense Bienestar.

Segundo este jornal, dois corruptores intermediários - Carlos Silva e Gustavo Oliveira - alugaram o quarto. O defesa-central do Oriental Diego Tavares, juntou-se a eles, e, do hotel falaram em videoconferência (talvez recorrendo a um computador) com Lim Seng, um empresário que representava os interesses dos apostadores da Malásia.

Ficou combinado que o Oriental deveria perder em Penafiel por muitos o que veio a acontecer (4-2).
O jogador que esteve no quarto em Vizela, Diego Tavares, contava com a colaboração de outros jogadores da sua equipa: o guarda-redes Rafael Veloso e os defesas João Pedro Carvalho e André Almeida.

A PJ quando assistiu ao jogo em Penafiel já tinha toda a informação (através de escutas telefónicas) do que acontecera em Vizela onde teve agentes disfarçados na rua Dr. Abílio Torres.
Um agente da PJ esteve sentado no estádio ao lado de Carlos Silva e ouviu este a dizer ao jogador João Pedro que era preciso sofrer mais um golo. Nesta altura Diego Tavares já tinha sido substituído.

"João Pedro passou a mensagem ao seu guarda-redes e este sofreu mais um frango, um remate frouxo, já em período de descontos".
O jogo realizou se a 30 de abril.
A direcção do Bienestar desconhece toda a situação que decorreu no quarto do hotel sendo completamente alheia aos mesmos.

O objetivo desta corrupção era favorecer as apostas de jogos de futebol online (pela Internet) uma modalidade que pode vir a extinguir o futebol a médio prazo se não forem tomadas importantes medidas de combate a nível planetário como está a acontecer por parte das forças da ordem portuguesas.
Cada jogador do Oriental foi aliciado com 7.500 euros. Já foram detidos pelas autoridades e poderão ser condenados com prisão.
Este é apenas um dos casos do "Jogo-Duplo", tema de atualidade, cuja manta não pára de crescer de dia para dia.