AUTÁRQUICAS 2017 - Envie para o ddV notícias da sua candidatura.

Casa do Povo festejou aniversário aberta ao povo

Na festa de aniversário o Diploma de Sócio Honorário, foi entregue ao (ainda) Vice-Presidente da Direção, Adelino Ferreira da Cunha que não vai integrar o próximo elenco diretivo por motivos de saúde. Esteve 28 anos nos órgãos sociais da Casa do Povo instituição que destacou ainda Alfredo Pinto (ex-chefe dos jardineiros da Câmara de Vizela), o atleta João Pedro Lourenço e os patrocinadores Ivo Loureiro e Vítor Oliveira.












73 ANOS DA CASA DO POVO

Presidente da Direção, Júlio César Ferreira, destacou os tempos idos mas também apontou metas para o futuro.


Faz precisamente hoje, 25 de Fevereiro, 73 anos que foi assinado o Alvará da fundação da Casa do Povo de Vizela, alvará esse que, que com todo orgulho ostentamos nas paredes deste Salão Nobre e que nos apraz transcrever parte do mesmo: “ Faço saber, como sub - secretário de Estado das Corporações e Previdência Social, aos que este Alvará virem, que sendo-me presente os Estatutos com que pretende constituir-se a Casa do Povo de Vizela, aprovo conforme artigo 1º, do decreto-lei 23.051 de 23 de Setembro de 1933 - 25 de Fevereiro de 1944 - Joaquim Trigo de Negreiros”

Foi, portanto, neste dia 25 de Fevereiro de há 73 anos, que começou esta saga de elevar o nome de Vizela. E se nos primeiros anos e até ao 25 de Abril, a acção desta e de outras casas do povo, se pautavam pelo apoio ao mundo rural, quer no âmbito da cultura que no âmbito da previdência social (e aqui convêm referir que o âmbito desta Casa do Povo abrangia perto de 70 freguesias, com mais 60.000 mil associados), a partir do 25 de Abril e com algumas indefinições então criadas (e que levou ao encerramento de várias centenas de casas do povo em todo o País), a Casa do Povo de Vizela viveu também, tempos de incerteza, correndo seriamente o risco de encerrar e com isso, perder-se irremediavelmente, um património riquíssimo na história e para a história de Vizela.
Porém, mercê da força de vontade de alguns homens, como Baltazar Oliveira, José Miranda, Alfredo Cunha, José Alcino Ferreira, António Coelho e eu próprio, a história desta casa e dos grandes homens que por aqui passaram, não sucumbiu e a história continuou o seu caminho.

Mas, não obstante toda riqueza do seu passado e a memória das pessoas que por aqui passaram, nos mereçam a mais profunda gratidão e reconhecimento, achamos que nos devemos centrar mais no presente, com vista a projetarmos o futuro.
E o futuro faz-se caminhando, de peito aberto, dando passos firmes, mas cautelosos, porque firmeza não significa desleixo, desinteresse ou indiferença.
Sabemos que vivemos tempos incertos. Sabemos que o futuro é incerto, mas temos de ter o arrojo e a desenvoltura de olhar e seguir em frente, de forma destemida, embora com cautela e firmeza nas decisões que teremos de tomar.
Continuaremos a dar um constante apoio às nossas secções culturais e desportivas, razão principal da nossa existência e o fruto desse apoio é visível, nos êxitos que estas têm conseguido, nomeadamente no campo desportivo.

A secção de Damas Clássicas, pese embora o facto de, na nossa terra, não ser uma secção a merecer um outro olhar, mais compreensivo e atento, sendo para muita gente um passatempo, a verdade é que, para além de ser uma secção que continua a colecionar troféus um pouco por todo o lado, tendo participado em inúmeros campeonatos de índole nacional, promovidos pela respectiva federação, é uma secção de jogadores/atletas com um alto grau de inteligência, sobriedade, perspicácia, ponderação e serenidade.
O BTT continua a ser uma secção de grande nível e muitas têm sido as actividades promovidas pelos seus responsáveis, a que me permito destacar uma delas, já com nome bem vincado no panorama desportivo/lúdico da nossa região, e que tem trazido até nós um número muito elevado de atletas de todas as latitudes e de todos os tipos, como seja a já famosa “Pedalada às tasquinhas”
A secção de Ténis de Mesa, é já uma referência no panorama Mesa-tenista do distrito de Braga. Os nossos atletas têm-se imposto nos diversos campeonatos organizados pela Associação de Ténis de Mesa de Braga, conquistando lugares cimeiros, quer por equipas, quer individualmente, nos mais diversos escalões etários. E na época que ainda decorre, são muitas as conquistas e as vitórias individuais e coletivas já alcançadas e que têm sido amplamente divulgados pela Comunicação Social e alvo de diversos louvores, por parte da Exma. Câmara Municipal.

Não serão alheios a essas grandes vitórias, a colaboração estreita, capaz, dialogante e precisa, com a Câmara Municipal, em parceria com a direção da Escola Básica e Secundária de Infias, onde todo o grupo de trabalho da secção, faz agora os seus treinos e jogos oficiais, assim como todo o trabalho meritório, de grande amplitude e paixão do nosso seccionista, o Sr. José Batista, da mesma forma que não será alheio, todo o empenho e trabalho técnico de elevada competência, do nosso jogador e orientador, João Lourenço

No âmbito cultural, o nosso Grupo de Cavaquinhos, cumpriu o sonho de gravar o seu primeiro CD e graças à sua força, ao seu talento, à sua qualidade e à presença constante em tantas e tantas latitudes, muito tem contribuído para a elevação do nome de Vizela e tenho a certeza que, brevemente, muito brevemente, novos horizontes se abrirão no caminho do sucesso.

É conhecida a situação um tanto débil deste edifício, o que não admira dada a sua vetusta idade, o que vem causado algumas preocupações, já amplamente referidas e parte delas combatidas. Porém, muito há ainda para fazer e é intenção desta direcção, lá para finais da primavera, resguardar todo o alçado lateral, com protecção contra a chuva e combater as infiltrações no pavimento do salão. Será um trabalho árduo e dispendioso, contudo não é nada que não possamos combater e para isso contamos com o apoio, não só dos nossos amigos, mas também das autoridades da nossa terra, mormente a Exma. Câmara Municipal e União das Juntas de Freguesia de Vizela, que não nos têm regateado com a sua prestimosa e colaborante ajuda, sem o qual muitas das iniciativas que realizamos no último ano e muitas daquelas que estão planeadas para este, nunca se poderiam concretizar.
Por tudo isso e porque já se tornou habitual nestas cerimónias, vamos agraciar algumas pessoas, entregando a cada uma delas, diplomas de reconhecimento, testemunhando desta forma a gratidão desta direção.

E sem perder mais tempo, pedia ao Sr. Presidente da Assembleia Geral, Sr. Baltazar Oliveira, digno representante de todos os associados, para entregar este Diploma de Agradecimento, por tudo aquilo que, ao longo do tempo em que foi funcionário atento e zeloso da Câmara Municipal, fez pela Casa do Povo, ao Sr. Alfredo Pinto da Costa
E, sem abusar da paciência do Sr. Presidente da União de Juntas de Freguesia de Vizela, Sr. Mário José Oliveira, solicitava a sua ajuda para a entrega destes diplomas de reconhecimento, às seguintes entidades Vitalclin – Implantologia e Estética Dentária na pessoa do Sr. José Manuel Oliveira, em representação do seu filho, Sr. Vítor Oliveira, pelo seu habitual, constante e prestimoso apoio ao Festival de Reis, e à Ópticalia Vizela Lousada, na pessoa do Sr. Ivo Loureiro, patrocinador oficial da nossa secção de Ténis de Mesa.

Já o dissemos antes, não somos ingratos e não obstante por vezes parecermos um tanto distantes, nunca esquecemos quem luta pelo bom nome da Casa do povo de Vizela e neste momento, um nome vem à nossa mente, por tudo aquilo que tem feito em prol de muitos dos nossos jovens, emprestando-lhes muito do seu saber, entusiasmo e autoridade, contribuindo para que alguns deles sejam campeões distritais da modalidade que abraçaram. E porque a autoridade tem um peso deveras significativo, na nossa terra, nas nossas instituições e nas nossas vidas, solicitava ao Sr. 1º Sargento Machado, a entrega deste Diploma de Agradecimento ao nosso amigo e atleta, Sr. João Pedro de Sousa Lourenço.

No próximo mês de Março, esta direção termina o seu mandato. Propõe-se continuar (pelo menos por mais um…) com algumas alterações no seu elenco. E a alteração mais significativa, será a ausência do Sr. Adelino Ferreira da Cunha. A seu pedido, que entendemos e percebemos, o Sr. Cunha não fará parte da próxima direção.

Mas pelo facto de não fazer parte da nova direção, nem por isso deixará de fazer parte dos nossos corações. Não esqueceremos os 28 anos em que esteve connosco, nem esqueceremos todo o trabalho meritório e sempre presente, prestado a esta colectividade. E porque, como muito bem ele sabe, não somos ingratos, não o poderíamos esquecer neste dia e assim gostaríamos de lhe agradecer todo o trabalho, toda a colaboração, todo o empenho e toda a amizade com que nos granjeou durante todos estes anos e assim pedia ao Sr. Presidente da Câmara Municipal de Vizela, Sr. Dinis Manuel da Silva Costa, para me ajudar, enquanto Presidente desta Direção, a entregar este Diploma de Sócio Honorário, ao ainda Vice-Presidente da Direção, Sr. Adelino Ferreira da Cunha.