Feira Romana de Vizela, 9 a 11 de junho. Participe.

"Vizela Sempre denuncia que Câmara vai gastar 5 milhões em 5 meses"

Comunicado: «Aquando da apresentação e aprovação dos Documentos Previsionais para o ano de 2017 – Orçamento e Grandes Opções do Plano em dezembro de 2016, o Movimento Vizela Sempre afirmou publicamente que este orçamento não era real, dado que as obras apresentadas não estavam devidamente inscritas e orçamentadas»


«Contudo, o executivo do Partido Socialista afirmou publicamente que o orçamento era real e que todas as obras estavam devidamente previstas e orçamentadas. Assim sendo, o Sr. Presidente da Câmara e a Sr. Vereadora Dora Gaspar foram, pela primeira vez na história do nosso Município, apresentar publicamente, em cada uma das freguesias, o Orçamento para o ano de 2017 e as Obras que estavam previstas para cada uma daquelas.
 
Entretanto, volvidos 4 meses da aprovação do referido Orçamento, o Sr. Presidente da Câmara apresenta na Assembleia Municipal de abril de 2017 a primeira Revisão Orçamental e vem acusar publicamente os Presidentes de Junta de estarem contra as obras nas freguesias, em virtude destes se terem abstido na votação da proposta da referida Revisão e consequente introdução das obras no Orçamento.

Assim sendo, ou o Sr. Presidente da Câmara Municipal de Vizela estava a mentir quando foi às freguesias apresentar as obras que não estavam previstas no Orçamento, ou, então, está a mentir neste momento, quando diz que os Senhores Presidentes da Junta estão contra a introdução das obras no Orçamento, atendendo a que estas já se encontravam orçamentadas desde dezembro de 2016.

Importa realçar, que os Senhores Presidentes de Junta não votaram contra a revisão orçamental, apenas se abstiveram, porque, não obstante quererem obras nas Freguesias, estão fartos de serem engados. Ao longo dos últimos anos, o Sr. Presidente da Câmara colocou, de forma reiterada, diversas obras nos orçamentos, as quais nunca saíram do papel. Qualquer Vizelense sabe que todas as obras realizadas nas freguesias ao longo dos últimos anos foram feitas com o esforço das Juntas de Freguesia e que a Câmara Municipal de Vizela “não pregou um único prego”.

Assim sendo, os Senhores Presidentes de Junta, não só não estão contra as obras como querem obras nas freguesias. A titulo de exemplo, o Sr. Presidente de Junta de Freguesia de Santa Eulália já demonstrou disponibilidade para fazer a requalificação e alargamento do adro da Igreja e o Sr. Presidente da Câmara Municipal não autorizou.

Cumpre, ainda, acrescentar que, com esta primeira Revisão, o Orçamento da Câmara Municipal de Vizela para o ano de 2017 passou de 13.681.806,40€ para 19.308.121,91€, verificando-se um aumento de sensivelmente 6 milhões de euros.
Assim sendo, este orçamento representa a inversão da trajetória de contenção desenvolvida ao longo dos últimos anos pelo Município de Vizela e o regresso da política de “esbanjamento”, conforme facilmente se pode constatar pelos seguintes factos:

1. Ao contrário da Revisão Orçamental efetuada em 2016, que teve como objetivo a inserção do Saldo de Gerência e pagar a dívida existente, a Revisão Orçamental de 2017 é, maioritariamente, para pagar novas despesas. Despesa essas a fazer durante os próximos 5 meses, isto é, durante o período eleitoral;

2. Esta Revisão Orçamental representa um aumento de 6 milhões de euros, de 13 para 19 milhões de euros;

3. Destes 6 milhões de euros, 1 milhão é para amortização extraordinária da dívida;

4. Destes 6 milhões de euros, 5 milhões de euros são novas despesas em obras, subsídios e para reforço de despesas com pessoal;
A titulo conclusivo, atendendo a que este orçamento representa um aumento de 5 milhões de euros de nova despesa e que temos 5 meses até às próximas eleições, isto significa, que o executivo do Partido Socialista quer gastar 1 milhão de euros por mês até ao dia 1 de outubro e que depois “quem vier atrás que feche a porta”.


VIZELA SEMPRE, maio 2017