FELIZ NATAL

Igreja de Moreira de Cónegos foi construída há 60 anos

Laurentino de Sousa “Alho” e Adelina da Cunha, “Construíram um Lar, uma Família e a nossa Igreja”

 
Esta é a Sua obra…!
Laurentino de Sousa, “ o Alho”;

O Mestre de todos os mestres, foi quem coordenou a construção da obra imortal de Moreira de Cónegos!
1957 -2017, 60 anos da nossa Igreja! – e falar do Mestre é ainda muito pouco o que fazemos para lembrar o que construiu…!

O Mestre Alho, tocou em todas as pedras da nossa monumental Igreja. Uns tem e muito dignamente o registo físico da grande generosidade para com a nossa comunidade e muito particularmente com o edifício da Igreja, (bustos do Comendador João Pereira de Magalhães e da esposa, D. Laurinda).
Mas do Mestre! -daquele de quem os seus filhos nunca foram meninos, tão grande foi a responsabilidade do que tinha assumido, e todos, todos os Seus do mais pequeno ao maior foram criados ao seu modo…

Podemos pensar que se fosse hoje, a Igreja tinha em destaque o nome do arquitecto e do engenheiro de tão belíssima obra, mas do Mestre nada consta, sabemos pelos nossos pais e nossos avós que o Mestre de todos os Mestres de Moreira de Cónegos, foi e será sempre o Senhor Laurentino de Sousa, “O Alho”.

É sempre tempo para falar de quem tanto fez !
Também nos recordamos desde meninos quando visitávamos a Sacristia da nossa Igreja e orgulhosamente ouvir dizer pelos e netos e filhos dos nossos antigos Lavradores;
“nesta fotografia está o meu Avô ! - …está o meu Pai !”…”foram eles que transportaram toda a pedra para a construção da nossa Igreja”.  Tantas vezes ouvimos esta manifestação de orgulho, mas hoje já não se encontra exposto este registo fotográfico, e como o Mestre já nada consta!
Foi um tempo longo e longos dias de trabalho, cerca de dez anos que durou, e talvez pela responsabilidade da obra, os dizeres do quotidiano entre o Mestra e o Sr Padre Ezequiel, não eram muitos simpáticos, fruto do que a rotina profissional condicionava.

Nesse período, entre os finais dos anos quarenta até 1957, juntos;
-o Ezequiel, o Alho, os Lavradores e o nosso Povo ficaram para sempre na memória dos  Moreirenses, por há 60 anos construírem a Obra de SEMPRE e PARA SEMPRE em MOREIRA DE CÓNEGOS.
Estas são das histórias que não vem nos livros, mas se nós sabemos que assim foi, porque não repor o que entendemos ser do melhor que tivemos…

Um povo que não lembra os Seus poderá levar ao esquecimento os valores de outrora. O Alho, o Mestre, naturalmente tinha a sua recompensa pelo seu trabalho…mas tal como o arquiteto ou o engenheiro receberam pelo seu trabalho prestado, mas “parece-me” ser justo e de grande orgulho de o Mestre da construção da nossa monumental Igreja ser de Moreira de Cónegos. Por isso, lembrar o Laurentino de Sousa “ O Alho”, é justo; lembrar também a grande dedicação dos nossos lavradores antigos, aqueles que há mais de sessenta anos e com uma escala ajustada entre Si, deixavam o seu trabalho diário e também com os Seus filhos (que também nunca foram meninos), carretaram TODAS AS PEDRAS PARA O “ALHO” as tratar, passava-lhes a mão e só por isso soube onde as colocar ! - e assim, garantiu que a nossa Igreja tenha a solidez para sobreviver  a todos nós…
Hoje 2017, e passados 60 anos da sua inauguração e com orgulho, sentimos
a obrigação de divulgar onde estejamos que as pedras e o Mestre estão para serem admirados até ao fim de tudo.

O Sr Laurentino de Sousa “ O Alho”, nasceu a 21 de fevereiro de 1898 e faleceu no dia do Seu aniversário no ano de 1961;
O Laurentino e a Adelina, casaram-se na freguesia de Guardizela ! – e foram pais de seis filhos;
(em Guardizela sempre se ouviu que era lá o Registo Civil, devemos procurar saber qual o influente Republicano que servia a população das redondezas…só por este facto, merece sabermos o que sempre se disse…).
Então do casamento nasceram:
A Maria do Carmo, a Rosinda, a Rosa, o Domingos, o Amaro e o Luís.
A tuberculose levou prematuramente alguns e outros corresponderam para o que tinham nascido, e foram também grandes Mestres; o Luís e o Amaro.
O Sr Laurentino de Sousa “ O Alho” que era do lugar do Talegre da nossa vila e como a Sua obra serão para sempre um património de Moreira de Cónegos.