VISITE VIZELA

Comunicado dos vereadores do PS da Câmara de Vizela

Referente à Reunião nº 1 da Câmara Municipal de Vizela – 19 de outubro de 2017


Comunicado dos vereadores eleitos pelo PS

Os vereadores da Câmara Municipal de Vizela eleitos pelo Partido Socialistas, movidos pelo sentido de responsabilidade, verdade e transparência no exercício das funções para as quais foram mandatados pelos Vizelenses, vêm por este meio pronunciar-se sobre a Reunião de Câmara do passado dia 19 de outubro e esclarecer, adicionalmente, sobre posições assumidas.

Assim, no período Antes da Ordem do Dia o Presidente de Câmara foi questionado sobre:
- Por que motivo a reunião tida com os Bombeiros Voluntários de Vizela não incluiu o comando da corporação, considerando os dramáticos acontecimentos ocorridos no fim-de-semana anterior e a necessidade de delinear uma estratégia eficaz de Proteção Civil no concelho de Vizela que impulsione novas ações, nomeadamente de cariz preventivo?

- Se vai cumprir a promessa feita em 2016 de nomear o Comandante Operacional Municipal de Proteção Civil, que na legislação atual é designado de Coordenador?
- A ilegalidade cometida no agendamento da Reunião de Câmara, convocada com menos de 48 horas de antecedência, como determina o artigo 48º, da Lei 75/2013, de 12 de setembro.
A todas as questões, o chefe do executivo deu respostas evasivas, não respondendo, nomeadamente à questão sobre a nomeação do Coordenador Municipal de Proteção Civil, ao mesmo tempo que não negou a existência da promessa.

Já no período da Ordem do Dia, na proposta de fixação de vereadores em regime de meio tempo, segundo a qual seriam atribuídos pelouros ao vereador Jorge Pedrosa, eleito pela coligação de direita PPD-PSD/CDS-PP, foi pedida a entrega de uma cópia do acordo assinado entre o Movimento Vizela Sempre (MVS) e os partidos de direita e repudiada a aliança firmada com base nos seguintes factos:
- A entrevista dada ao JN em 21 de junho de 2017 por Vítor Hugo Salgado, na qual assumia que preferia acordos pontuais em vez de coligações pós eleitorais.

- A entrevista de Jorge Pedrosa ao JN de dia 22 de junho de 2017 no qual pedia aos Vizelenses para acreditarem na credibilidade da Coligação que liderava e assumindo que o MVHS não era credível.
- Os artigos de opinião publicados por Jorge Pedrosa no RVJornal em 2016 com alguns ataques como: “fez recair sobre ele (Vítor Hugo Salgado) o pesado fardo de ajudar à quase falência do Concelho”, “os Vizelenses não se deixam levar por inexequíveis promessas de quem já mostrou não saber gerir os dinheiros públicos. Será que descobriu, a poucos meses das eleições, a poção mágica de encontrar financiamento, onde nunca o conseguira antes?” ou ainda “é hora de acordar, por em causa promessas enganadoras impossíveis de concretizar, por parte de um grupo que, nesta atitude só revela desprezo para com os seus eleitores, numa desesperada ânsia pelo poder”.

- O discurso de Vítor Hugo Salgado no Comício do dia 24 de Setembro na Praça da República onde, mais uma vez e sem qualquer pudor, afirmou que “votar PS ou PSD é a mesma coisa”, ao mesmo tempo que se diziam socialistas.
Para além destes, foi lembrado a todos os presentes que a Câmara Municipal de Vizela foi governada em minoria pelo PS no último ano e meio do seu mandato, tal como havia acontecido entre 2012 e 2013 e, no entanto, foram dados grandes e importantes passos para o Município. Para além da aprovação do orçamento e das prestações de contas de 2016, o Executivo do Partido Socialista conseguiu baixar o IMI por duas vezes, passando de 0,5% para 0,398%, conseguiu um abaixamento recorde da dívida total do Município, ficando muito abaixo do limite imposto pela Lei das Finanças Locais em cerca de 4 milhões de euros, em junho de 2017.

Por outro lado, afirmar, tal como o chefe do executivo faz que “a gestão seria difícil e desgastante” caso governasse o Município em minoria, revela que alguns continuam a navegar ao sabor do vento, pregando à maneira de Frei Tomás – “melhor o diz, pior o faz”.
Porque confiamos nas pessoas, porque os Vizelenses saberão interpretar e julgar aqueles que pensam unicamente em si próprios, esquecendo levianamente as palavras proferidas e os atos cometidos até à tão bem pouco tempo, os vereadores eleitos pelo Partido Socialista continuarão a honrar os compromissos assumidos, adotando uma postura de elevação e de construção de soluções alternativas, numa oposição firme e fiscalizadora da ação do executivo.
Lutaremos sempre pelo desenvolvimento e progresso do Concelho de Vizela e dos Vizelenses.

Vizela, 25 de outubro de 2017
Os Vereadores eleitos pelo Partido Socialista,
João Ilídio Costa
Dora Gaspar