VISITE VIZELA

Vizelense Joaquim Ribeiro dirigiu Banda da GNR em Monsaraz

O nosso colega Diário Campanário rasga elogios à atuação da Banda da GNR que atuou em Reguengos de Monsaraz sob a direção do vizelense Joaquim Ribeiro.
No vídeo, Joaquim Ribeiro faz a sua prova de mestrado dirigindo uma das melhoras bandas do País.

Reguengos de Monsaraz encerrou no passado sábado, dia 28 de outubro, os espetáculos no âmbito do Mês da Música, com um concerto da Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana.
Outubro – Mês da Música, em Reguengos de Monsaraz, apresenta sempre “um programa preenchido”, o qual, há cinco anos, inclui “uma grande banda militar”, diz José Calixto, Presidente do Município.
Neste sentido, e no presente ano, o município recebeu a atuação da Banda Sinfónica da GNR, dirigida por Joaquim Ribeiro, visando “incentivar os nossos jovens músicos”, dando simultaneamente “visibilidade aos músicos reguenguenses” que integram as referidas bandas, não sendo esta exceção.


BIOGRAFIA DE JOAQUIM RIBEIRO

Joaquim Ribeiro, é sargento mor subchefe da Banda Sinfónica da GNR.
É natural de Vizela, tendo iniciado a sua carreira na banda da Sociedade Filarmónica Vizelense. É licenciado em clarinete pela Escola Superior de Música de Lisboa (ESML) e mestre em direcção de orquestra de sopros pelo I. Piaget com as mais altas classificações. Completou ainda a sua formação artística frequentando diversas Master Classes em Clarinete com, Francisco Ribeiro, António Saiote, Guy Deplus, David Campbel, Walter Boykens, e Direcção Coral e Técnica Vocal com Edgar Saramago, Lúcia Lemos e Vianey da Cruz. De 2002 a 2004 estudou Direcção de Orquestra com o Maestro Jean Sebastien Berreau no conservatório de música J. P. Rameau de Dijon – França, obtendo os certificados CEFM e DEM, com as respectivas classificações de Très Bien (Muito Bom) e Médaille de L’argent (Medalha de Prata).



Galardoado em diversos concursos, destacam-se os seguintes: 1º Prémio do Concurso Nacional da J.M.P., 1º Prémio «Jovens Músicos» 2º Prémio no concurso de clarinete de Setúbal. Com o quarteto de clarinetes de Lisboa foi premiado nos concursos Prémio Cultura e Desenvolvimento, Prémio Jovens Músicos e Prémio Artes e Ideias.

Foi em 1988, 89 e 90 seleccionado em provas internacionais a participar como solista no estágio da Orquestra de Jovens do Mediterrâneo em França, e em 91 seleccionado a participar no estágio da Orquestra Sinfónica de Jovens da Comunidade Europeia no Luxemburgo. Foi Maestro do do Coro da Sociedade Euterpe Alhandrense e das Bandas Filarmónicas da Ericeira e de Almoçageme.


A sua fama como clarinetista proporcionou-lhe; a dedicação de várias obras escritas por vários compositores, a realização de concertos com várias formações de câmara nos mais importantes festivais de música nacionais e internacionais, gravações para a rádio e TV, a colaboração em vários cd`s, o convite a ministrar Master Classes no continente e ilhas, Espanha e Brasil bem como a actuação a solo com a Banda Sinfónica da GNR, Orquestra Sinfónica da RDP, Orquestra Sinfónica Juvenil, Camerata Atlântica, Orquestra de Câmara de Aveiro, Orquestra Sinfonieta de Lisboa, Orquestra do Norte, Orquestra Sinfónica Portuguesa.Etc.

As suas actuações a solo têm merecido da imprensa as mais elogiosas críticas, destacando-se as seguintes: “ Clarinetista de sonoridade ampla, firme e de excelente técnica ” (Diário Popular, 17/08/88- Maria Helena de Freitas); “ Uma interpretação sempre exemplarmente ” (Diário de Noticias, 13/06/89- José Pedro Blanc); “ Clarinetista de enorme talento, de carreira notável, um dos melhores do País ” (N. de V. 07/92- M.M. Guerra); “ Clarinetista de excelente técnica, grande intensidade interpretativa, de som aveludado, simplesmente perfeito ” (Público, 21/05/01- Teresa Cascudo). "...ilustra perfeitamente o ecletismo de uma jovem geração de Clarinetistas. Põe toda a sua mestria técnica ao serviço do repertório classico, sem contudo deixar de abordar outros estilos..." Revista Viento nº8, junio/2008/07-03-2010


Ao longo da sua carreira teve oportunidade de trabalhar com maestros como Carlo Maria Giulini, Jean Sebastien Berreau, Mstislav Rostropovich, Lukas Foss, George Hurst, Michel Tabachnik, Alain Lonbard, Arturo Tamayo, Michael Zilm, Wolfgang Rennert, Michel Plasson de entre muitos outros com os maiores elogios.


A sua actividade musical levou-o a apresentações em Macau, França, Belgica, Inglaterra, Itália, Holanda, Suiça, Dinamarca, Luxemburgo, Alemanha, Espanha, Polónia, EUA, Canadá, Brasil etc. Actualmente, para além de de Clarinete Solista da Banda Sinfónica da GNR e Orquestra Sinfónica Portuguesa, é professor deste instrumento, Maestro e Diretor Musical do Melleo Harmonia.




Outro momento de Joaquim Ribeiro dirigindo a banda para Carlos do Carmo e Paulo de Carvalho