VISITE VIZELA, Santuário de S. Bento das Peras; Balneários Termais; Parque; Rio; Montanha; Património; História...

AGOSTINHO SOUSA: “O meu grande sucesso são as pessoas que me rodeiam”

Agostinho Sousa, prestes a comemorar dez anos (será em 2018) no ramo imobiliário, depois de trabalhar para duas grandes empresas imobiliárias, decidiu criar a sua próprio marca rodeando-se de 22 briosos colaboradores sendo mais 60 por cento licenciados. Já vendeu mais de 300 casas. Conta com a sua sede em Vizela e duas agências inauguradas este ano em Felgueiras e Guimarães. Mas em 2018 vai mais longe…




- Depois de trabalhar para duas grandes empresas da área imobiliária onde conquistou diversos prémios de prestígio profissional decidiu fundar a sua própria empresa (AS IMOBILIÁRIA). Porquê?

AGOSTINHO SOUSA - O porquê de criar a minha própria marca foi que, nesta última marca onde estava e face à minha pretensão de expandir o negócio não estava a ter o apoio e o incentivo que achava que deveria ter e que seria fulcral para alavancar a minha carreira. Quando não se sente esse apoio temos de tomar decisões e neste momento agradeço até ter de ser assim, de ter dado o passo que dei em fundar a ASimobiliária, pois estou feliz com o realizado em apenas oito meses.

Agostinho Sousa com pais e irmã.
- Como está atualmente mercado imobiliário?
- O mercado imobiliário a nível nacional está numa fase muito boa, com produto para venda, abertura ao crédito habitação e com relativa rapidez o produto que entra no mercado é escoado. O resultado deste trabalho é precisamente a abertura de duas novas agências e consequentemente um aumento de faturação como tem sido prisma da minha equipa desde sempre.

- Porque optou por Felgueiras e Guimarães para a abertura de dois espaços de atendimento?

- Felgueiras e Guimarães surgem naturalmente pois fazem parte do meu raio de ação pessoal, onde já sou conhecido quer por ter vivido no concelho de Felgueiras ou por conviver nas horas livres em Guimarães. É apenas um alargar da zona onde trabalhamos bem e criar espaços confortáveis onde as pessoas possam reunir, procurar negócios e entregar os seus imóveis numa agência da sua própria cidade. E com isso também recrutar comerciais e dar-lhes as melhores condições de trabalho possíveis.

- Vai aumentar a rede de balcões?
- O objectivo é aumentar o número de agências em mais uma ou duas.

- Onde poderá ser a próxima agência?
- A próxima agência será no Porto com abertura prevista para o primeiro semestre de 2018.

- Porquê o Porto?
- Porque é um mercado onde temos pessoas a colaborar connosco, onde já realizamos alguns negócios e onde naturalmente existe uma grande oferta e procura neste ramo.

- Quantos colaboradores tem a ASimobiliária?
- Neste momento somos 22 pessoas. Um número que não deverá ficar por aqui.

- Em que concelhos tem imóveis à venda?

- Temos 80 por cento dos imóveis à venda nos concelhos de Vizela, Felgueiras e Guimarães. Depois distribuem-se pelos concelhos limítrofes como Fafe e Santo Tirso. E depois Porto e zona de praias desde Vila do Conde até à Póvoa de Varzim. Com mais alguns em zonas mais retiradas como Viana do Castelo, bem como alguns na Zona do Douro.

- Quais são os planos para 2018?
- Passam em primeiro lugar pela abertura duma agência no Porto. Depois apontamos a novo alvo.

- Até onde pensa chegar com a sua empresa?
- Desde novo que eu sonho bastante alto. Então pelo menos quero a AS imobiliária presente em cinco cidades do Norte. Após isso e com os parceiros certos poderei estender para a outras zonas do país bem assim como rubricar algumas alianças estratégicas fora de Portugal que podem culminar com abertura de escritórios nesses países. O futuro é risonho.

- Sente alguns efeitos da concorrência em Vizela?

- Os efeitos da concorrência em Vizela sentem-se
e são bons se a concorrência acrescentar profissionalismo e uma forma correcta de estar. Como a nossa forma de trabalhar assenta na partilha, o aumento de pessoas a trabalhar no ramo proporciona que até eles possam vender os imóveis angariados por nós o que já se verificou este ano…mais vezes que o normal. Quem ganha é o cliente que vê o seu produto vendido mais rapidamente.

- Sente que hoje é uma figura muito conhecida em função da difusão da sua imagem em anúncios? As pessoas anónimas reconhecem-no na rua?
- Sim reconhecem-me. Abordam-me e felizmente tratam-me muito bem, desde os mais novos aos mais idosos que trato com o mesmo respeito e consideração. Há crianças que vão com os pais e apontam para mim e dizem «olha o Agostinho». Fico feliz, é um reconhecimento sincero e é muito gratificante sentir isso de toda uma sociedade. Sinto-me muito bem e desejo que assim se mantenha e aconteça o mesmo com os meus colaboradores pois é sinal do respeito e profissionalismo com que tratamos todos os
assuntos. Após abraçarem o projeto as pessoas percebem que existe uma relação de confiança amizade e transparência da nossa parte.

- Qual é o seu conceito de sucesso?
- O meu conceito para o sucesso é apenas um: rodear-me das pessoas certas, pessoas que partilhem dos mesmos valores que defendo, pessoas íntegras. Depois que partilhem a mesma visão que eu em termos futuros. Pessoas que não se contentem com um serviço mediano ou com uma vida com poucos recursos. Queremos colaboradores que acreditem poder ter uma melhor qualidade de vida a todos os níveis alavancada
com a AS imobiliária. Após conhecermos pessoas que se identifiquem nestes aspetos, damos formação imobiliária para poderem fazer carreira e ir o mais longe possível.

- Que mensagem quer deixar para os seus clientes e aqueles que venham a sê-lo?

- Aos que já são clientes, simplesmente queria agradecer a confiança depositada em nós. Aos futuros clientes digo-lhes para nos virem visitar, conhecer as nossas instalações, a nossa forma de trabalhar e perceberem que seremos a melhor opção para a venda ou compra do seu imóvel.
E feliz Natal para todos.


-