JOSÉ CID com Banda Vizelense, domingo,em Vizela às 17h00. Entrada livre.

28 DE MARÇO AS DATAS DA HISTÓRIA


IDADE DO BRONZE -  Cista Romana
S egundo estudos desenvolvidos, o ritual do “ enterrar dos mortos” que tem vindo a celebrar-se, dura já há mais de cem mil anos, tendo sofrido as mais diversas evoluções.
Durante a Idade do Bronze até à Idade do Ferro, existiram algumas modificações no cerimonial do enterramento, passando-se à cremação dos corpos. As cinzas que restavam, guardavam-se em urnas, que eram colocadas em cistas ao lado de vasos mais pequenos com oferendas aos mortos. Posteriormente passou-se para a sepultura em túmulos.
Contudo, na segunda fase da Idade do Bronze, recolhiam-se os mortos em grutas naturais ou antas, em que criavam sepulturas individuais, sendo estas formadas por quatro paredes rectangulares cobertas por cima com uma lage. Geralmente tinham 1 metro de altura e 60 centímetros de largura, os mortos eram colocados na posição fetal (como se estivessem na barriga da mãe).
Existe em S. Bento um monumento destes conhecido por, a “Cista Romana de S. Bento”. Embora que um pouco abandonada, esta aparece, devido à deformação do terreno desajustada nos ângulos em forma trapezoidal.

1854 - O jornal Periódico dos Pobres no Porto escreve importante artigo sobre a fundação do Hotel Vizelense «que irá acontecer em breve na espaçosa casa de Belmenso, próximo dos banhos. Com todas as comodidades, quartos bem mobilados, almoço, jantar e à noite chá. Também tem um carroção muito asseado que sairá para a cidade de Guimarães às segundas, quintas e sábados» - escreve aquele periódico.
Este Hotel Vizelense ficou mais conhecido como Hotel do Padre por ficar sob a gerência única do Padre Domingos José Lopes (falecido em 1887) que era sócio na abertura do Hotel de José de Freitas e Oliveira mas que acabaram zangados e fizeram as partilhas um ano depois da inauguração.


1975 - O concelho de Vizela possui dois excelentes solares brasonados: o Paço de Gominhães, classificado como imóvel de interesse público desde 1975 e a Casa de Sá. Nesta casa nasceu Francisco Joaquim Moreira de Sá e também viveu e morreu a poetisa Ana Amália Moreira de Sá. A sua história confunde-se com a própria história de Vizela. Por tudo o concelho, pode ver-se ainda moradias e vivendas verdadeiramente espectaculares. A rua Dr. Abílio Torres, por exemplo, é uma verdadeira “passerelle”. Do início ao fim, dezenas de casas dos sécs. XVIII e XIX demonstram por que razão, no dealbar da presente
centúria, as condições para a criação do concelho estavam perfeitamente criadas.

2018 - Manuel Monteiro é reeleito Presidente do Grupo Folclórico de Santa Eulália-Vizela..




NESTA DATA NASCEU
1973- Vítor José Leite, locutor da Rádio Vizela.

NESTA DATA FALECEU
2014 - Maria da Conceição Freitas (S. João das Caldas)
2013 - Aida da Purificação (Santa Eulália)
2008 - Isabel Felicidade da Silva Coelho
2008 - Maria Amélia de Castro

NACIONAL E INTERNACIONAL