BOAS FESTAS. FELIZ NATAL. BOM 2019

Ambulância do Hospital de Guimarães melhora socorro a situações de paragem cardíaca

Viatura (VMER) vai ser equipada com compressor cardíaco externo que, entre outras vantagens, permitirá diminuir a probabilidade de sequelas nos doentes em situações de paragem cardíaca.


A Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital da Senhora da Oliveira Guimarães vai ser equipada com um compressor cardíaco externo. Este equipamento será entregue pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) ao Hospital na próxima segunda-feira, dia 16 de julho, numa cerimónia em Lisboa. A equipa que compõe a VMER do Hospital de Guimarães já recebeu, por parte do INEM, a necessária formação para utilizar este novo equipamento.
Em situações de paragem cardíaca, este compressor cardíaco externo garante um ritmo adequado e constante, com uma depressão torácica ideal, o que se traduz num fluxo mais estável e contínuo ao cérebro, diminuindo assim a probabilidade de sequelas nos doentes que recuperam da paragem. Permite também libertar um elemento da equipa da VMER para efetuar outro procedimento que seja necessário. Outra das vantagens deste equipamento é que torna possível o transporte da vítima de paragem cardíaca, em manobras de suporte avançado de vida, sem perda de eficácia das compressões.

«Em casos de paragem cardíaca, a compressão cardíaca é fundamental por forma a manter alguma circulação cerebral e minorar as sequelas, as quais podem ser irreparáveis em pouco tempo. Contudo, a massagem cardíaca, mesmo realizada pelo profissional mais treinado e experiente, leva rapidamente a cansaço e exaustão, o que se traduz numa ineficácia da mesma. A solução é a troca entre profissionais, o que pode levar a pausas desnecessárias e inconsistência das compressões. Com o compressor cardíaco passamos a ter a possibilidade de garantir um ritmo cardíaco adequado e constante, o que vai diminuir as eventuais sequelas nos doentes a prestamos assistência na VMER. Entre várias outras vantagens, o equipamento possibilitará também o aumento do número de doações de «coração parado», uma vez que existe, desde outubro de 2016, um protocolo de colaboração entre o INEM, o Instituto Português do Sangue e da Transplantação e o Centro Hospitalar de S. João, que cobre principalmente a Área Metropolitana do Porto, e que, neste momento, tem possibilidade de se estender geograficamente», afirma a este propósito o Coordenador Médico da VMER do Hospital de Guimarães, Ricardo Moreira.

Lembramos que o Hospital recebeu recentemente uma nova VMER, em novembro passado, que trouxe melhores condições para a assistência rápida aos cidadãos da região. A VMER é uma viatura de intervenção pré-hospitalar, operada por uma equipa de médicos e enfermeiros com formação específica em assistência pré-hospitalar.

Destina-se ao transporte rápido de uma equipa ao local onde se encontra o doente. Esta equipa é constituída por médico e enfermeiro, dispõe de equipamento para o Suporte Avançado de Vida em situações do foro médico ou traumatológico, presta socorro no local de ocorrência e, caso se justifique, o transporte assistido das vítimas para o hospital. A VMER do Hospital de Guimarães iniciou atividade em novembro de 2003 e já tem contabilizadas cerca de 25 mil ocorrências. Tem um quadro de 20 médicos e 20 enfermeiros e uma taxa de operacionalidade de 100%, sem nunca ter ficado um único turno inoperacional por falta de tripulação médico/enfermeiro. A sua zona de atuação assenta predominantemente sobre a área de influência direta do Hospital: Guimarães, Fafe, Vizela, Cabeceiras de Basto e Mondim de Basto. No entanto, opera ainda em áreas limítrofes: Felgueiras, Famalicão, Santo Tirso e Celorico de Basto.