"SE VIZELA NÃO É UMA TERRA GRANDE É SEM DÚVIDA A TERRA DE UM GRANDE POVO" - Américo Tomaz

Comunicado do Partido Socialista de Vizela

"MAIS UMA MANOBRA DE DIVERSÃO DE VICTOR HUGO SALGADO.  FORAM NEGADOS DOCUMENTOS À ERNST & YOUNG E A VERACIDADE DAS INFORMA-ÇÕES NÃO FOI CONFIRMADA PELA EMPRESA


A conferência de imprensa que Victor Hugo Salgado realizou no passado dia 11 de setembro, não passou de uma manobra de diversão destinada a desviar a atenção dos vizelenses sobre a proposta do Partido Socialista de baixar novamente os impostos em 2019,
apresentada na reunião de Câmara realizada na manhã desse mesmo dia 11 de setembro.

Apesar das promessas feitas, em campanha eleitoral e como presidente de Câmara, VICTOR HUGO SALGADO NÃO CUMPRE AS PROMESSAS! AFINAL NÃO VAI BAIXAR O IMI NEM A DERRAMA EM 2019!

Numa tentativa de desviar as atenções das propostas do Partido Socialista com impacto direto e positivo na vida de todos os Vizelenses, Victor Hugo Salgado manipula o Relatório à evolução económico-financeiro do Município de 2002 a 2017, encomendado pela Câmara Municipal à empresa Ernst & Young (EY).
CONSIDERANDO AS SUSPEIÇÕES LEVANTADAS E A OCULTAÇÃO DE PARTES RELEVANTES DO
RELATÓRIO, CUMPRE INFORMAR:

I- ENQUADRAMENTO
1- Ao contrário do que afirmou na reunião de Câmara de 31 de outubro de 2017, o
Presidente de Câmara não fez um concurso público. (Ata nº 2, de 31/10/2017), mas
sim um ajuste direto, com prazo de execução de 30 dias.

2- OS FACTOS ANALISADOS OCORRERAM A PARTIR DE 2002 E DESENVOLVERAM-SE
AO LONGO DOS MANDATOS EM QUE:
 Presidentes da Câmara Municipal de Vizela: Francisco Ferreira (de 2002 a
2009) e Dinis Costa (2009 a 2017);
 Vereadores das Finanças e Gestão Financeira: Victor Hugo Salgado
(outubro/2012 a maio/2016) e Dora Gaspar (maio/2016 a 2017);
 Vereadores do Jurídico: Victor Hugo Salgado (de 2010 a 2015);
 Deputado da Assembleia Municipal: Victor Hugo Salgado (outubro 2005 a
outubro 2009).

Em 24 de julho de 2018, a EY ENVIOU à Câmara Municipal um RELATÓRIO DE CONCLUSÕES,
onde ALERTA PARA LIMITAÇÕES QUE só por si, SEGUNDO A EMPRESA, REVELAM A FALTA DE
FIABILIDADE DO DOCUMENTO elaborado.
II- AS LIMITAÇÕES DO RELATÓRIO APRESENTADAS PELA EMPRESA

1- SEGUNDO A EY, os procedimentos executados no âmbito do seu trabalho “NÃO
CONSTITUEM UMA AUDITORIA FINANCEIRA, AUDITORIA FORENSE, GARANTIA DE
FIABILIDADE OU UMA REVISÃO LIMITADA EFETUADA DE ACORDO COM AS NORMAS
INTERNACIONAIS (…).”

2- Desta forma, a EY “NÃO EXPRESSA UMA OPINIÃO DE AUDITORIA FINANCEIRA OU UM
PARECER DE REVISÃO LIMITADA (…).”

3- “FORAM DIRIGIDOS DIVERSOS PEDIDOS DE INFORMAÇÃO AO MUNICÍPIO DE VIZELA
MAS NEM TODOS FORAM ATENDIDOS até 17 de julho de 2018”, estranhando-se tal facto aconteça num Município com sistema informático de gestão/registo de documentos implementado.

4- A EY afirma que “sempre que possível TRABALHOU COM DOCUMENTAÇÃO ORIGINAL
SEM no entanto TER REALIZADO UMA VERIFICAÇÃO SOBRE A AUTENTICIDADE DA
MESMA (…)”.

5- A EY diz que “NÃO É RESPONSÁVEL POR VALIDAR OU VERIFICAR A INTEGRALIDADE,
VERACIDADE, OU PRECISÃO DE INFORMAÇÕES OBTIDAS (…)”.

6- “Nunca esteve no âmbito do trabalho (…) verificar a veracidade da informação que
nos foi fornecida pelo Município de Vizela (…)”.

7- A EY afirma “reconhecer que EXISTE O RISCO DE TEREM SIDO UTILIZADAS
INFORMAÇÕES PÚBLICAS INCOMPLETAS, FALSAS, IMPRECISAS OU DESATUALIZADAS,
no todo ou em parte.”

8- A análise da EY “EM NENHUM MOMENTO SE PRONUNCIA SOBRE OS ASPETOS OU
CONSEQUÊNCIAS LEGAIS dos mesmos”.
Em face da elencagem deste conjunto de “limitações” descritas pela própria EY, seria
o momento de colocar um ponto final neste assunto!

III- CONCLUSÕES
1- Em face de todo o exposto, o Partido Socialista está profundamente indignado com o
teor das declarações de VICTOR HUGO SALGADO que QUIS ACHINCALHAR ELEITOS DO
PS QUE DESEMPENHARAM FUNÇÕES DESDE 2002, entre os quais se destaca o próprio
Victor Hugo Salgado.

2- Repudiamos a desonestidade política de Victor Hugo Salgado, que tornou públicas partes truncadas do Relatório.

3- Lamentamos que Victor Hugo Salgado não tenha submetido o Relatório da EY, à análise restrita da Câmara e Assembleia Municipal para que os mesmos deliberassem o que fazer. Por exemplo, remetê-lo ao Tribunal de Contas ou ao Ministério Público.

4- AS DECLARAÇÕES ABUSIVAS, TENDENCIOSAS, INCORRETAS, IMPRECISAS E ATÉ CALUNIOSAS DE VICTOR HUGO SALGADO FARÃO DE UM PROCESSO-CRIME POR. DIFAMAÇÃO.

5- O Partido Socialista de Vizela pauta-se pela transparência e legalidade, trabalhando
por Vizela e pelos Vizelenses com total dedicação e responsabilidade.

ATOS INTIMIDATÓRIOS E CALUNIOSOS COMO OS SUCESSIVAMENTE PRATICADOS por Victor
Hugo Salgado NÃO NOS DEMOVEM DO PERCURSO QUE O PS TRAÇOU PARA O
DESENVOLVIMENTO DE VIZELA E BEM-ESTAR DE TODOS OS VIZELENSES.

Aguarda-se com tranquilidade o desenrolar dos acontecimentos e disponibilizando-nos, desde
já, para prestar todos os esclarecimentos às entidades judiciais que os solicitarem.

Caldas de Vizela, 18 de setembro de 2018
Partido Socialista de Vizela