"SE VIZELA NÃO É UMA TERRA GRANDE É SEM DÚVIDA A TERRA DE UM GRANDE POVO" - Américo Tomaz

Ricardo Fernandes à frente do Chalé do Parque das Termas

Ex-jogador de futebol (o segundo em baixo a contar da esquerda nesta foto da equipa do FC Porto), vive entusiasmado com a exploração do Chalé do Parque das Termas trabalho que desenvolve com sua esposa Roberta e conhecidos jovens vizelenses. Este fim de semana o Chalé vai aparecer renovado.


Ricardo Fernandes e Pedro Mendes (os dois na foto de equipa do FCP), foram os moreirenses a chegar mais longe no patamar futebolístico. Atualmente, Ricardo Fernandes, com perto de 40 anos de idade, e sua esposa Roberta têm os dois pés na hotelaria e similares, destacando-se a exploração da Casa de Raquel e do Chalé do Parque das Termas de Vizela que assumiu no último verão.

O ex-jogador deu uma profunda entrevista ao Tribuna Expresso onde fala do seu passado futebolístico, das suas raízes e, claro, dos seus novos projetos que também passam por Vizela.
Esta semana, Ricardo Fernandes esteve ocupado na renovação do interior do Chalé do Parque das Termas onde o seu bom gosto e da esposa Roberta (têm três filhos menores) já é evidente.

EXCERTOS DA ENTREVISTA
Ricardo Fernandes: “Tive ataques de pânico, ficava a tremer, o coração acelerava muito. Quando paravam parecia que tinha feito ginásio”

Deixou os relvados há uns meses, já perto dos 40 anos, depois de uma carreira que passou por
Sporting e FC Porto e, lá fora, Chipre, Grécia, Ucrânia e Israel. Arrepende-se de não ter conseguido impôr-se no FC Porto, clube de onde gostava de não ter saído, e conta algumas histórias vividas no famoso autocarro dos dragões. Diz que gostava de ser treinador, já experimentou o agenciamento de jogadores e está a pôr de pé um restaurante-bar, em Vizela, depois de ter transformado a casa de família num turismo rural. Sobre Cristiano Ronaldo, que conheceu quando este tinha 17 anos, diz que era muito mais arrogante do que hoje.

(...)
Isso foi a época passada. O que faz agora para ocupar o tempo?
Agora meti-me aqui numa confusão dos diabos (risos). Estava à procura de um rumo para a vida, já tínhamos criado um negócio com a casa de família, A Casa da Raquel, que transformamos em alojamento local e está a correr muito bem. Fomos viver para uma mais perto da cidade e há três meses metemo-nos também num restaurante-bar, em Vizela, chamado o "Chalé do Park". Para já, e para quem não estava preparado para nada disto, tem funcionado muito bem.



Leia aqui a entrevista de Alexandra Simões de Abreu com fotos de Rui Duarte Silva a RICARDO FERNANDES  no TRIBUNA EXPRESSO