VIZELA CIDADE NATAL 2018. APAREÇA.

FC Vilarinho em destaque no JN

"Em cinco anos, o Vilarinho transformou-se por completo e tem tido uma ascensão notável.
Dentro de campo, subiu duas divisões e estabilizou na Elite portuense. Fora dele, dotou-se de infraestruturas e um sintético que orgulham a freguesia. Um crescimento sustentado e alicerçado, que se alastra à formação. Tem três equipas em atividade e, na próxima época, terá mais duas. “Agora, os jovens de Vilarinho já não precisam de jogar nas freguesias vizinhas”, diz, radiante, o presidente Edmundo Costa.

“Sinceramente, não estava à espera de um crescimento tão elevado. Dificilmente poderíamos ter feito mais em tão pouco tempo”, sublinha Edmundo Costa, “orgulhoso por o Vilarinho ter estabilizado na Divisão de Elite”, 0 principal campeonato da maior associação do país. Porém, apesar dos “pouco recursos financeiros”, o dirigente, de 60 anos, acredita que é possível “continuar a fazer mais e melhor” para desenvolver o clube.
“O objetivo é fazer sempre melhor do que nas épocas anteriores. Não temos os mesmos argumentos financeiros da maior parte dos nossos adversários, mas acredito que, em breve, poderemos estar a lutar
pelos primeiros lugares”. O clube ocupa o 12º lugar na Série 2.

“O segredo é ter as pessoas certas e temo-lo conseguido. O treinador Marco Nunes é uma aposta pessoal e que gosta de lançar jovens. É uma das filosofias que implementámos no clube, pois, com as obras no estâdio, passámos a ter condições para apostar na formação. Temos três escalões e na próxima época teremos mais dois. A freguesia tem razões para ter, cada vez mais, orgulho no Vilarinho”, considera Edmundo Costa, em véspera de o clube festejar o 42º aniversário, no dia 23, que será assinalado com um jogo entre velhas glórias do Vilarinho e do Braga.

APOSTA TOTAL NA JUVENTUDE

A cumprir a terceira época no comando técnico, Marcos Nunes, de 48 anos, é um dos rostos do sucesso do Vilarinho. “Resistimos à adversidade de andar com a casa às costas e estabilizámos o clube na Elite, apostando sempre em jovens valores. Temos o plantel mais jovem do campeonato, com uma média de 22 anos, e mostrado que somos competitivos. Se seguramos estes jovens e continuarmos a evoluir assim, poderemos ir subindo patamares e pensar em metas mais ambiciosas”, considera o técnico, que trabalhou 28 anos na formação do
Aves. “Tem-me dado um gozo tremendo fazer parte deste projeto. Com grande espírito de grupo, temos demonstrado, em campo, que os orçamentos não ganham jogos e elevado o clube a outros patamares. É o mais gratiflcante que pode haver” , sublinha Marcos Nunes, apontando a “permanência no campeonato e final da Taça como os objetivos” para esta época.

Texto de Norberto Vasconcelos Sousa
Foto de Miguel Pereira