VIZELA CIDADE NATAL 2018. APAREÇA.

Partida de um infiense que amava a literatura

António Alves Pinto vai hoje a sepultar. Líder duma numerosa e boa família de Santa Maria de Infias do Concelho de Vizela, relacionou o seu amor pela escrita, com o seu imenso trabalho profissional, a criação dos filhos e a filantropia estando sempre disponível para colaborar com as causas da terra.


Há pouco tempo (10 de Junho, dia de Camões e da Pátria) recebeu uma justa e sentida homenagem (que assistiu sentado numa cadeira de rodas). O alto momento foi conduzido pela prof. Conceição Lima e decorreu na igreja paroquial de Infias tendo a participação de toda a sua família, do pároco Adelino Rosas, da vereadora da cultura Dora Gaspar da Câmara Municipal de Vizela e do Presidente da Junta Francisco Correia para além de José Pedro Marques e de outros amigos.
As maiores referências foram ouvidas para um "homem lutador e que deixa um legado à cultura Municipal e que merece outras homenagens".

Alves Pinto escreveu dez livros, com esforço financeiro próprio, em poesia e prosa. Os seus versos assemelham-se aos de António Aleixo - misturam-se com o povo e as tradições, versam a terra, a lavoura, os campos e tudo de bonito que brota da mãe natureza - e os seus livros em prosa sabem a Miguel Torga, a Júlio Dinis.

Como ocorreu com muitas pessoas que foram à escola e cedo tiveram de começar a trabalhar deixando os estudos numa fase que hoje é apenas o começo, Alves Pinto completou apenas o quarto ano (4ª classe) mas revelava mestria na escrita superior a muitos doutores e ditos intelectuais. Ser poeta e escritor popular não é para qualquer um mas ele soube sê-lo e deixar vincado esse cunho, de que cada um aprende da vida o que quer, para a posteridade.

Alves Pinto venceu na vida, deixou claro que nunca se deve parar de lutar por aquilo em que se acredita, seja na liderança duna grande família, seja nas artes e com isso tornou-se uma das mais importantes referências de Santa Maria de Infias, freguesia onde vivia, e que certamente saberá perpetuar o seu nome para além da morte.
O funeral do poeta popular Alves Pinto realiza-se hoje pelas 15h30 em Infias-Vizela.