80 ANOS...PARABÉNS FUTEBOL CLUBE DE VIZELA

Obra de requalificação do edifício Jordão e Garagem Avenida iniciou esta 2ª feira

Investimento superior a 11,5 milhões de euros para a criação da Escola de Música e Escola de Artes Performativas e Visuais.




A obra de requalificação do edifício Jordão e Garagem Avenida para a instalação da Escola de Música e Escola de Artes Performativas e Visuais, na Avenida D. Afonso Henriques, iniciou esta segunda-feira, 07 de janeiro, com um prazo de execução de ano e meio.



A regeneração do espaço, que recupera um dos edifícios mais emblemáticos de Guimarães, vai acrescentar mais cidade à cidade, num investimento superior a 11,5 milhões de euros. “O edifício do Teatro Jordão está na memória dos vimaranenses e completará ainda a reabilitação de Couros, que queremos enquadrar no âmbito do Património Mundial da Humanidade, sendo um novo espaço do conhecimento”, considera o Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, destacando a preocupação em manter a memória do edificado.



O novo piso sobre o edifício Jordão será composto por uma estrutura metálica, revestido por uma fachada cortina em vidro e elementos metálicos. No edifício da Garagem Avenida, o embasamento voltado para o pátio interno será revestido a chapa de zinco e na cobertura do volume térreo será para manter a telha “Marselha”.



O projeto contempla um auditório de 400 lugares, a nova Escola Música da Academia Valentim Moreira de Sá (Conservatório de Guimarães) e ainda espaços dedicados ao curso de Artes Performativas e Visuais da Universidade do Minho, conferindo uma nova vida ao edifício com 80 anos.



Domingos Bragança realça que “o exterior do edifício será preservado e o seu interior será mantido até ao limite do que for possível, sem colocar em causa a sua função de escola de música, das artes performativas e das artes visuais, tendo sempre presente o enquadramento deste projeto nos fundos europeus”. Esta obra é apoiada por fundos da União Europeia (Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional), ao abrigo do programa Norte 2020, no valor de 9.815.500,00 €, num custo total de 11,5 milhões de euros



Depois de reabilitado o Teatro Jordão e o edifício contiguo, da antiga Garagem Avenida, naquele espaço ficará a sede para o curso de Artes Performativas da Universidade do Minho e a Escola de Música. Para Domingos Bragança “trata-se da reabilitação de um património, dando-lhe outra função de capital importância na vertente cultural, de educação e formação do ensino superior” através da Universidade do Minho.



Para além de solucionar as necessidades da Universidade do Minho e da Sociedade Musical de Guimarães, responsáveis por garantir a sustentabilidade do equipamento, a recuperação do edifício torna-se fundamental no processo de candidatura da zona de Couros a Património Mundial, como extensão do centro histórico, já apresentada à UNESCO.