Polémica entre Vitória e Moreirense prossegue por guarda-redes

Jhonatan assinou quatro épocas pelo vitória, porém o Moreirense, diz ter acionado atempadamente a opção de extensão de contrato até 2020 com o guarda-redes que termina contrato no final desta época.
A SAD dos cónegos refere ter informado as entidades competentes (Liga e o guarda-redes) o que levou a direção liderada por Vítor Magalhães a emitir um aviso de que quem levasse o guarda-redes sofreria as consequências. O empresário do jogador, segundo revela a reportagem de Bruno Freitas no Desportivo de Guimarães, diz que esta clausula dos cónegos não é válida e que o guarda-redes pretendia subir na carreira. O empresário refere que o Moreirense só aceitava que o jogador saísse para o Braga.

No  Desportivo de Guimarães surge na capa uma expressão do empresário de Jhonatan que alega que o Moreirense lhe disse para negociar a transferência do jogador para o Braga (rival do Vitória). Daniel Coracini é o empresário do jogador tendo os dois reunido com o Vitória. Jhonatan iria assinar contrato por quatro épocas pelo clube vizinho.
Em tempo de semana santa esta procissão parece ainda ir no adro com os dois clubes do mesmo concelho a apresentarem armas de defesa pelo homem responsável pelas defesas da equipa (para já) do Moreirense.
 O guarda-redes, que mora em Vizela, está fora de competição depois de ter partido um braço. Jhonatan ficou mais conhecido por ter protagonizado um episódio caricato quando no final de um jogo com o Porto falou para a Sport Tv pensando que a sua equipa tinha perdido o jogo. O guarda-redes sofreu um choque na cabeça que o baralhou pois na verdade o jogo terminou empatado e foi o repórter da televisão que informou o guarda-redes do resultado.

Partilhar