Ocupação hoteleira em Guimarães manteve evolução em 2019

Número de visitantes aos Postos de Turismo de Guimarães com uma subida na ordem dos 32%, com reflexo na taxa de ocupação hoteleira.


Guimarães tem aumentado a sua notoriedade e capacidade de atrair visitantes de forma consistente ao longo dos últimos anos. O registo do número de visitantes aos postos de turismo da cidade confirma a tendência de crescimento com subida na ordem dos 32% face a 2018. Ao estabelecer uma comparação com os anos de 2013 ou 2014 com 2019, o número de visitantes atendidos nos postos de turismo mais do que duplica, registando um acréscimo de cerca de 132% - 46 462 (2013) 107 638 (2019).

No período de Natal e Passagem de Ano, Guimarães voltou a receber milhares de pessoas com uma tendência de evolução nos últimos anos, de acordo com a afluência de visitantes aos Postos de Turismo.

Espanha, França e Brasil assumem-se como os principais mercados emissores, juntamente com o mercado nacional, mantendo-se, assim, a tendência de crescimento dos últimos anos. De registar, ainda, a subida consistente e significativa do mercado espanhol e brasileiro e, também, a emergência de um novo - o Japão.

A visita a cidades históricas da região e o facto de ser Património da Humanidade apresentam-se como as principais motivações para a visita a Guimarães. O património arquitetónico e artístico, assim como, o Berço da Nacionalidade, constituem, de igual modo, motivos de significativa relevância para esta tomada de decisão, no balanço do inquérito que foi desenvolvido aos visitantes. A maioria pernoita no Porto (49,2%), seguindo-se Guimarães com 22,8% das respostas. Assim, a Hotelaria de Guimarães continua a manter taxas médias de ocupação-quarto elevadas.

A visitação aos principais Monumentos e Museus continua a acompanhar a tendência de crescimento do número de visitantes, verificando-se em 2019 um acréscimo de 8,3% face a 2018 e de 13,9% comparativamente a 2017. Castelo de Guimarães e Paço dos Duques de Bragança, assim como de um conjunto de museus, designadamente o Museu Alberto Sampaio, Centro Internacional das Artes José de Guimarães e Casa da Memória de Guimarães são os principais espaços visitados pelos turistas. No cômputo geral, há um aumento de 8,3% de visitantes face ao ano transato, uma subida de 13,9% comparativamente a 2017 e a triplicação do número de visitantes relativamente a 2013.

A internet, assim como a recomendação de familiares/amigos são os principais fatores na tomada de conhecimento do Destino Guimarães, reunindo no total 68% das respostas dos inquiridos.





Partilhar