ATUALIZAÇÃO (12 horas) 76 mortes por Covid-19 em Portugal. Mais de quatro mil infetados

De acordo com o boletim da situação epidemiológica no país divulgado esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde, o número de infetados com o novo coronavírus aumentou para 4268, dos quais 354 estão internados, 71 em cuidados intensivos, e 43 já estão recuperados. A aguardar resultado
laboratorial estão ainda 3995 casos suspeitos e 19.816 estão sob vigilância das autoridades de saúde. Desde o início da pandemia em Portugal, houve mais de 25 mil suspeitas.

O número de mortos registou um aumento de 16 (na quinta-feira, o aumento tinha sido de 16), de 60 para 76 mortes: 33 registaram-se no Norte, onde há 2443 casos de infeção, 24 na Grande Lisboa (1110 infetados), 18 na região Centro (520 infetados) e 1 no Algarve (99 infetados).

Do total de casos confirmados (que inclui 798 idosos com mais de 70 anos e 49 crianças com menos de 10), mais de 330 foram importados de 29 territórios estrangeiros - a maior parte de Espanha (105) e França (72). Os restantes foram provocados por contágio ocorrido dentro do país.

O concelho do Porto (317 casos) ultrapassou Lisboa (284) na tabela da caracterização demográfica dos casos confirmados, seguindo-se Gaia (262), Maia (171), Gondomar (149) e Ovar (145). A DGS esclarece que esta caracterização é "feita com dados reportados pelas Administrações Regionais de Saúde", que "têm como base a região de residência ou, caso não haja informação, região da ocorrência".

Quase 25 mil  
pessoas morreram em todo o mundo infetadas por Covid-19, de acordo com um balanço feito pela agência France Presse a partir de dados oficiais divulgados esta sexta-feira às 11h00.
O novo coronavírus matou 24.663 pessoas em todo o mundo desde que surgiu em dezembro, segundo este novo balanço.
Foram registados 539.360 casos de infeção em mais 183 de países e territórios desde o início da epidemia.



NOTA DO MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA
Balanço das atividades do SEF e da GNR nas fronteiras terrestres

Com a determinação da reposição temporária do controlo de fronteiras internas com Espanha, estabelecida pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 10-B/2020, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), enquanto autoridade responsável pelo controlo de pessoas nas fronteiras, iniciou às 23h00 do dia 16 de março o controlo dos passageiros nos nove Pontos de Passagem Autorizados (PPA).
Nestes primeiros 10 dias, até ao final do dia desta quinta-feira, o SEF controlou - com a colaboração da Guarda Nacional Republicana – um total de 87.823 cidadãos.
Relativamente a cada um dos nove PPA, foi controlado o seguinte número de cidadãos:
·  Valença, Viana do Castelo – 40.004
·  Vila Verde da Raia, Chaves – 12.534
·  Quintanilha, Bragança – 2.910
·  Vilar Formoso, Guarda – 11.417
·  Termas de Monfortinho, Castelo Branco – 2.021
·  Marvão, Portalegre – 807
·  Caia, Elvas – 9.810
·  Vila Verde de Ficalho, Beja – 2.923
·  Castro Marim, Faro – 5.397
Deste total de 87.823 cidadãos, 853 foram impedidos de entrar em território nacional e um foi detido por uso de autorização de residência falsa, no ponto de passagem autorizado de Vila Verde da Raia, Chaves.
As recusas de entrada verificaram-se em Valença (286), Caia (199), Castro Marim (154), Vilar Formoso (84), Vila Verde de Ficalho (57), Vila Verde da Raia (40), Quintanilha (16), Marvão (10) e Termas de Monfortinho (7).
O objetivo deste controlo é, designadamente, vedar as deslocações de cidadãos em turismo/lazer entre os dois países.
A GNR, por sua vez, fiscalizou 57.382 viaturas no âmbito desta operação. Nos pontos de passagem não autorizados, foram reencaminhadas 207 viaturas e 531 cidadãos para os PPA. Foi ainda registado um crime por condução sem habilitação legal.
Ao SEF cabe o controlo documental de pessoas. A GNR é responsável pela circulação rodoviária e pela vigilância da fronteira terrestre entre os PPA acima identificados.
Importa relembrar que está vedada a circulação rodoviária nas fronteiras terrestres, independentemente do tipo de veículo, com exceção do transporte internacional de mercadorias, do transporte de trabalhadores transfronteiriços e da circulação de veículos de emergência e socorro e de serviço de urgência.
Os condicionalismos de tráfego referidos não prejudicam:
- o direito de entrada dos cidadãos nacionais e dos titulares de autorização de residência nos respetivos países;
- a circulação do pessoal diplomático, das Forças Armadas e das Forças e Serviços de Segurança;
- a circulação, a título excecional e para efeitos de reunião familiar, de cônjuges ou equiparados e familiares até ao 1º grau na linha reta;
- o acesso a unidades de saúde, nos termos de acordos bilaterais relativos à prestação de cuidados de saúde;
- o direito de saída dos cidadãos residentes noutro país.

27 de março de 2020




BREVES

DIVIDA - O Conselho Europeu não chegou a um consenso sobre medidas para combater a crise gerada pelo novo coronavírus - não houve acordo sobre a emissão de dívida comum.

URGÊNCIAS - Graça Freitas garante que nas urgências estão criadas as condições para tratar as pessoas com outras patologias num circuito diferente da dos suspeitos de covid-19. “Quem precisar de ir, não pode deixar de ir”, diz.

ITÁLIA - Já foi ultrapassado o número de 7.500 mortos.

RUSSIA - Mais de mil pessoas já foram infetadas pelo novo coronavírus na Rússia, entre as quais um alto funcionário da administração presidencial. Foram ainda registadas três mortes devido à Covid-19.

MINISTRO - O primeiro-ministro britânico testou positivo, confirma Downing Street. Um porta-voz confirma à BBC que, para já, os sintomas são "leves" e Boris Johnson vai continuar a liderar a resposta do Governo à epidemia em isolamento.

IRÃO -  No total já morreram 2.378 pessoas no Irão, 144 nas últimas 24 horas. Desde quinta-feira houve registo de 2.926 novos casos: o país já tem 32.332 pessoas infetadas, de acordo com o Ministério iraniano da Saúde.

 CHINA - A China anunciou hoje 55 novos casos da Covid-19, 54 dos quais oriundos do exterior. Houve apenas um caso de contágio local, detetado em Zhejiang.

Nas últimas horas morreram mais cinco pessoas no país. Há até ao momento um total de 3.292 vítimas mortais.

BRASIL - O Presidente do Brasil voltou a subestimar a pandemia e disse na quinta-feira que o contágio no país não vai assumir proporções semelhantes nos Estados Unidos.

Partilhar