Hospital de retaguarda no Multiusos de Guimarães


Casos confirmados (doentes): 150
Casos em vigilância ativa: 726 

Câmara de Guimarães já implementou duas unidades de alojamento com as condições exigidas para o isolamento social, e ainda uma unidade de apoio aos sem-abrigo.


O Multiusos de Guimarães é o espaço definido para servir de Hospital de Retaguarda, resultado de um processo em análise pela Câmara Municipal de Guimarães, Hospital Senhora da Oliveira e ACES do Alto Ave. A criação desta estrutura de apoio passa por desenvolver tratamento de assintomáticos e acolher doentes com sintomas ligeiros e que necessitam de monitorização médica permanente, face ao surto pandémico da COVID-19.

O Hospital de Retaguarda, que está em fase de análise para Guimarães, tem previsto 100 camas e com possibilidade de aumento de capacidade.

Até ao momento, a Câmara Municipal de Guimarães já criou duas unidades de alojamento com as condições exigidas para o isolamento social. Foram criadas duas unidades, nas instalações do Centro de Criação de Candoso, na antiga escola EB1 de Candoso S. Martinho, e Verbo Divino, com as condições exigidas pelas Autoridades de Saúde para a denominada quarentena. Estes espaços, um com capacidade para 10 quartos e outro com capacidade para 23 quartos de diversas tipologias, podem ser utilizados pelos cidadãos que não têm possibilidade de o fazer em condições apropriadas nas suas habitações ou por aqueles que, por motivos económicos, vivam em condições de carência, numa medida executada em articulação com as Autoridades de Saúde e a Câmara Municipal, cumprindo todas as recomendações da Direção-Geral de Saúde.

Estas medidas implementadas pela Câmara de Guimarães destinam-se à prevenção do contágio social, acrescentando ainda a resposta aos sem-abrigo. Numa parceria com a Cercigui, está já em funcionamento o espaço de alojamento para os sem-abrigo do concelho, com todas as condições de higiene, segurança e conforto, e que permitirá o distanciamento social adequado, bem como o acesso a refeições, contando com o apoio da Cruz Vermelha e voluntários.

A preocupação com os mais desfavorecidos e com os que detêm menos informação sobre as medidas de proteção e mitigação do surto da Covid-19 está na primeira linha da atuação da equipa municipal responsável pelo Plano de Ação de Emergência. A todo o momento, mais medidas poderão ser tomadas para dar resposta aos problemas que forem surgindo, perante um quadro de saúde pública que se vai desenvolvendo de forma imprevisível.







Partilhar