"Região Norte é a mais afetada do país pela pandemia COVID-19 e não é prioridade no Plano Preventivo do Governo"

COMUNICADO: A Comunidade Intermunicipal do Ave é uma associação de municípios de fins múltiplos criada em 14 de Abril de 2009 que tem por finalidade promover a gestão de projetos
intermunicipais na região do Ave.
Compreende um total de oito municípios, 236 freguesias, com uma área de 1453 km² e uma população de 425 411 habitantes (censos de
2011), correspondendo a uma densidade populacional de 293 hab./Km².

A Região Norte é a mais afetada do país pela pandemia COVID-19 e não é prioridade no
Plano Preventivo do Governo de Portugal.

De acordo com o Relatório de Situação da Direção Geral de Saúde publicado no dia 31 de março de 2020, a
Região Norte é a zona mais afetada do país, contabilizando um total de 4452 casos, número superior a todas as
outras regiões do país juntas, incluindo os Arquipélagos dos Açores e Madeira.
Ainda de acordo com este
boletim, entre as dez cidades mais afetadas pela pandemia COVID-19, oito pertencem à Zona Norte.
No dia 30 de março de 2020, o Governo de Portugal anunciou e colocou no terreno um Plano Preventivo de
combate à COVID-19, que prevê a realização de testes em lares de idosos, a população mais afetada à escala
mundial, por esta pandemia. Com grande surpresa, Évora, Guarda, Algarve, Aveiro e Lisboa surgem como
prioridades na distribuição geográfica dos testes à COVD-19.
Embora ainda não seja conhecido o número exato de infetados nestas instituições, nem a localização geográfica
das mesmas, a verdade é que a Zona Norte é a região mais afetada do país e não está contemplada nas
prioridades da referida distribuição de testes à COVID-19.
Perante este cenário, a CIM do Ave e os oito municípios que a constituem - Cabeceiras de Basto, Fafe,
Guimarães, Mondim de Basto, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão e Vizela – vêm por
este meio demonstrar o seu desagrado com esta decisão do Governo, afirmando a sua total solidariedade para
com as Instituições da Zona Norte.

A decisão de não começar a testar lares de idosos nos Distritos que registam mais casos de COVID-19 é
imprudente, incompreensível e pode ser, em última instância, irreversível. Sabendo da escassez dos recursos
disponíveis para o combate a esta pandemia, a CIM do Ave e os oito municípios que a constituem reconhecem o
esforço e a dedicação do Governo de Portugal perante o panorama atual, mas apelam a uma resposta urgente e
mais eficaz das Autoridades de Saúde nas zonas mais afetadas do país, combatendo o surto onde ele tem maior
e mais dramática expressão

CIM AVE, 1-4-2020

Partilhar