Prossegue entrega de cabazes a famílias carenciadas

Na sequência do surto da nova estirpe de coronavírus SARS-COV-2, responsável pela doença COVID-19, o Município de Vizela, em consonância com as diretrizes decorrentes do Estado de Emergência Nacional, implementou, ao longo dos últimos meses, um conjunto de medidas
excecionais de ordem preventiva e restritiva, com âmbitos temporais e de aplicação diferenciados, designadamente para combater o surto e evitar a transmissão da doença na comunidade, assim como estimular a recuperação económica e assegurar a proteção social.

Neste seguimento, a Câmara Municipal implementou o Programa de Apoio Municipal – VIZELA COVID-19, sendo uma das medidas principais deste Plano o PASA COVID 19 - Programa de Apoio ao Sistema de Alimentação - COVID 19 que consiste na distribuição de cabazes alimentares de forma a assegurar que os idosos ou pessoas que se encontrem numa situação de especial vulnerabilidade, que vivam isolados ou estejam em casa sozinhos, sem apoio de rede familiar ou de assistência social tenham acesso a bens essenciais como a alimentação, se mantenham em casa e, assim, evitar a propagação do surto epidémico.

Assim, a Autarquia tem distribuído estes cabazes uma vez por semana, sendo que esta semana os cabazes contam com o apoio do Núcleo de Árbitros de Vizela e da Iniciativa Solidária – Vizela, que ofereceram bens alimentares de primeira necessidade.

Para além da Câmara Municipal, estes cabazes contam com o apoio das Águas S. Martinho que fornecem água para os cabazes e são distribuídos gratuitamente pela empresa FEMA.

De destacar que esta medida abrange neste momento cerca de 50 famílias e visa garantir a respetiva entrega domiciliária semanal de cabazes alimentares essenciais a uma alimentação equilibrada e será implementada enquanto este surto se fizer sentir no Concelho de Vizela.

De destacar que esta é uma medida que integra o Programa de Apoio Municipal – VIZELA COVID-19, um conjunto de medidas que visam assegurar o combate ao surto, o estímulo à recuperação económica e a proteção social, sem prejuízo de, em face da sua avaliação e da evolução do surto epidémico, as mesmas poderem ser revistas, intensificadas ou revogadas, consoante se revelem necessárias para ajudar quem mais precisa e para retomar, tão rapidamente quanto possível, o fulgor que caracteriza o concelho de Vizela.

Partilhar