Celebração da origem de Portugal para preservar a Memória Histórica

Sessão Solene das comemorações do 24 de Junho contou com a presença da Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira. Distinção a Profissionais de Saúde, Voluntários e ainda Profissionais dos Serviços Essenciais que estiveram na linha da frente no combate à COVID-19.



O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães sublinhou a vontade expressa de assinalar o dia 24 de Junho como o primeiro dia da Nação de Portugal, com uma mensagem ao País, numa cerimónia em que o Governo esteve representado pela Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural. O momento mais solene da sessão foi a distinção Profissionais de Saúde, Voluntários e ainda Profissionais dos Serviços Essenciais.


“A Cultura em Guimarães é feita de pessoas que valorizam o seu passado, mas que não abdicam de um olhar mais distante, em busca de outras formas de olhar a realidade”, salientou Domingos Bragança na sua intervenção. “De Guimarães, que sempre celebrou o espírito da Batalha de São Mamede, incito os Portugueses a exaltar connosco o legado da “Primeira Tarde Portuguesa” e da sua mensagem primordial: com união e compromisso coletivo foi possível gerar um país; com a mesma união e compromisso seremos capazes de enfrentar e vencer os novos desafios, como em tantos outros momentos destes quase 900 anos de história, proclamando, uma vez mais, a nossa capacidade para decidir que futuro queremos e que território legaremos aos vindouros”, constatou ainda Domingos Bragança.


O Presidente da Câmara fez questão de lembrar o atual período de pandemia, numa alusão às “novas batalhas” e à resposta manifestada pelas gentes da Cidade Berço. “Guimarães, perante uma grande dificuldade, mostrou, mais uma vez, a força do seu sentimento de pertença e de coletivo”, salientou. “Não nos contentamos com a tolerância, pois tolerar implica condescender, ser complacente, fazer concessões. Nós somos um povo e cidade benevolentes, pois a benevolência está muito para além da tolerância: Benevolência é bondade, afeto e vontade de fazer bem. E com benevolência as batalhas também se ganham”, salientou.


A Secretária de Estado Adjunto e do Património Cultural, Ângela Ferreira, realçou a importância da comemoração da Batalha de S. Mamede a nível nacional. “Assinalamos um dia que é de Guimarães e é também de Portugal”, apontou. “O 24 de junho de 1128 é uma data fundamental no nascimento de Portugal” e expressou ainda que “este é o momento solene que assinala a primeira tarde portuguesa, que deixou um legado ao qual chamamos País”. No âmbito da importância em assinalar esta data, Ângela Ferreira constatou ainda: “o que somos começou há exatamente 892 anos, aqui mesmo em Guimarães” e “sem esses primeiros portugueses tudo seria diferente”.


Nesta cerimónia, restrita a convidados em função das recomendações da Direção Geral da Saúde, foi prestada homenagem todos os vimaranenses que se revelaram decisivos para o combate ao surto pandémico provocado pelo novo coronavírus, com a atribuição de Medalhas de Mérito Municipal Humanitário aos grupos sociais e profissionais que estiveram na linha da frente no combate à COVID-19. A medalha aos Profissionais de Saúde foi entregue a Henrique Capelas, Presidente do Conselho de Administração do Hospital de Guimarães; a medalha para os Voluntários foi entregue a Virgínia Alves, voluntária da Cruz Vermelha de Guimarães e a medalha para os Profissionais dos Serviços Essenciais foi entregue a Crisália Alves, coordenadora dos Serviços Municipais da Proteção Civil.


Os momentos musicais foram protagonizados por vários artistas vimaranenses, com destaque para um tema original da autoria de Tiago Simães.

Partilhar