Novo acesso a S. Tomé de Negrelos

Já está no terreno a construção do novo acesso a S. Tomé de Negrelos, uma das obras mais estruturantes para a freguesia,
que irá garantir uma melhor organização do espaço e revolucionar as acessibilidades. “Este é um investimento com grande impacto para a população e é a prova de que continuamos a honrar os compromissos”, adiantou o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Alberto Costa, no lançamento da primeira pedra da empreitada, que decorreu esta terça-feira.

A construção de um novo acesso ao centro de S. Tomé de Negrelos e a requalificação das ruas José Luís de Andrade, Giestal e Moinho do Paço já está em andamento e deverá estar concluída dentro de um ano. O investimento ronda 1,5 milhões de euros e irá “melhorar uma das principais artérias de S. Tomé de Negrelos”, acredita o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Alberto Costa.

Com forte impacto na população da freguesia, mas também nas populações vizinhas que utilizam o atual acesso diariamente, a intervenção prevê a criação de um novo arruamento, desde a Rua D. Maria II até à Rua José Luís de Andrade, que irá libertar a Rua do Giestal da grande afluência de trânsito.

O novo troço coincidirá com parte da Rua Moinho do Paço, atualmente em terra, que irá ser, também intervencionada. Já para a Rua José Luís de Andrade, junto ao Centro Escolar, está previsto o seu reperfilamento, com a construção de um passeio com pelo menos 1,6 metros de largura e de uma ciclovia.

A Rua do Giestal será convertida numa zona de circulação partilhada, com sentido único (ascendente), passeios e ciclovias até ao Centro Escolar. “Vamos privilegiar os espaços de circulação pedonal, as ciclovias e os alunos e encarregados de educação que, diariamente, fazem deslocações para a escola”, sublinhou Alberto Costa.

Roberto Figueiredo, presidente da Junta de S. Tomé de Negrelos, admite que a população “está satisfeita” com o arranque da intervenção e salienta que se trata de uma “empreitada que vem complementar um conjunto de obras que foram feitas na freguesia e que irá permitir que se desenvolva e aumente a fixação de população”.

O investimento nas freguesias é, de resto, algo que a Câmara Municipal de Santo Tirso continua a apostar. “Apesar da pandemia da Covid-19, não perdemos o foco e vamos continuar a investir nas freguesias e a acabar com as ruas em terra”, lembrou Alberto Costa, assumindo que “o investimento não vai parar”.

Inserida no Plano Municipal de Mobilidade Sustentável, a obra é cofinanciada pelo Norte 2020, em 848 mil euros, irá permitir uma melhor organização do espaço e conferir uma maior qualidade de vida à população.





Partilhar