Programa Bairros Saudáveis responde às necessidades do território

Domingos Bragança alertou as instituições de Guimarães para elaborarem candidaturas ao programa público, de natureza participativa, para melhoria das condições de saúde, bem-estar e qualidade de vida em territórios vulneráveis.

O Presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, destacou as respostas criadas no âmbito do programa “Bairros Saudáveis” e apela à participação das instituições da Rede Social. “Existe a possibilidade de formalizar candidaturas através deste programa do IEFP com uma amplitude significativa nas áreas abrangidas, que até podem ser complementadas com outros programas municipais e gostaria de ver os projetos de Guimarães neste concurso”, salientou Domingos Bragança, na reunião do Conselho Local da Ação Social (CLAS), que decorreu esta sexta-feira. 

O Programa Bairros Saudáveis é um programa público, de natureza participativa, para melhoria das condições de saúde, bem-estar e qualidade de vida em territórios vulneráveis. Destina-se a pequenas intervenções, através do apoio a projetos apresentados por associações, coletividades, organizações não governamentais, movimentos cívicos e organizações de moradores, em articulação com as autarquias, as autoridades de saúde ou demais entidades públicas. Visa sobretudo dar algum poder, no sentido de “poder fazer”, a comunidades residentes e pessoas ou organizações intervenientes em territórios vulneráveis, segundo a Delegada Regional do Norte na IEFP, Carla Vale, que participou nesta reunião por videoconferência. A reunião do CLAS contemplou ainda uma análise à situação do programa MAREESS no concelho de Guimarães e ainda do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas, assim como a apresentação dos projetos de Inovação social aprovados para o território de Guimarães. Foi ainda aprovado por unanimidade as alterações aos projetos Estação Guimarães Norte e Estação Guimarães Sul, no âmbito do CLDS. 

 Esta sessão contou ainda com a intervenção do Diretor Distrital da Segurança Social, João Ferreira, que evidenciou o papel da autarquia de Guimarães como “um parceiro bastante forte na resposta que está a dar no terreno ao problema da pandemia”. João Ferreira apontou o exemplo da realização de testes de rastreio à COVID-19 aos funcionários dos lares e apontou a criação de Brigadas no apoio às instituições sociais. A Vereadora da Ação Social, Paula Oliveira, mencionou uma vez mais o reconhecimento do amplo trabalho da Rede Social e a articulação com diversas instituições. “Existe em Guimarães um trabalho em rede onde foi possível responder no terreno e na hora, todos os dias da semana, graças ao empenho abnegado de todos os parceiros da Rede Social. Ainda recentemente criámos a estrutura de retaguarda para dar resposta a doentes que não tinham retaguarda familiar ou condições para cumprir o isolamento profilático, libertar um pouco a pressão no Hospital de Guimarães”, salientou a Vereadora da Câmara de Guimarães.

Partilhar