As novas cidades fantasma


Nos tempos que correm, de tristeza, solidão e receio do que de pior o futuro possa trazer, as cidades, vilas e freguesias estão transformadas em autênticas zonas fantasma.

Vizela não foge à regra e ontem à noite, sábado, a desolação, com os bares, cafés e restaurantes a colocarem os clientes na rua, foi demais evidente.

A partir desta segunda feira um novo cutelo volta a pender sobre a cabeça de muitas pessoas que vivem, alguns sem um único lamento, momentos de angústia e tensão. É o estado de Emergência, é o recolher obrigatório.

A pandemia tem as costas largas e só ela sabe quando isto vai parar e, depois de passar, quanto tempo demorará a lamber as feridas que vai deixar na economia.

Recomenda-se muita coragem a todos e a confiança no adagio popular "não há mal que dure sempre".

Partilhar