Estado de Emergência e Recolher obrigatório


Recolher obrigatório aplica-se a todo o país, mas no imediato as medidas mais restritivas incidem sobre 121 concelhos de elevado risco como VIZELA.

O Conselho de Ministros anunciou este sábado as medidas para o novo estado de emergência, que entra em vigor a partir desta segunda-feira, 9 de novembro. Desde o recolher obrigatório ao controlo da temperatura, as medidas são mais apertadas nas próximas semanas.


O Estado de Emergência

inicia-se às zero horas de domingo e termina às 23.59 de 23 de novembro. Tem a duração de 15 dias, mas pode ser renovado. No limite, já admitiu o primeiro-ministro, pode ser prolongado até ao fim da pandemia mas sem medidas permanentes.

Estas medidas aplicam-se a todo o país, mas no imediato as mais restritivas - particularmente o recolher obrigatório - incidem sobre 121 concelhos de elevado risco entre os quais Vizela.

Durante o recolher obrigatório só pode sair  para ir trabalhar, à escola, regressar do emprego ou por motivos de urgência, ir a um hospital, farmácia ou “acudir um familiar doente”, explicou este sábado o primeiro-ministro. 


A partir de amanhã, a limitação à circulação será entre as 23 horas e as 5 horas do dia seguinte.

 Durante os dias da semana será entre as 13 e as 5 horas aos sábados e domingos. Esta restrição dura pelo menos nos próximos dois fins de semana. Quem desrespeitar estas limitações pode ser conduzido a casa pelas autoridades policiais, disse António Costa sem especificar a moldura penal.

O comércio NÃO vai estar aberto aos sábados e domingos à tarde

uma vez que o recolher obrigatório vai vigorar entre as 13 e as 5 horas. O Governo não quer convívios a partir do almoço e, assim, o “comércio vai ter naturalmente restrições”, disse António Costa . Neste horário os restaurantes voltam a funcionar, tal como durante o confinamento, apenas para entregas ao domicílio e o take-away só será possível até às 13 horas para se evitar circulações.

Partilhar