Ecovia do Ave liga várias freguesias


Percurso de 34 quilómetros em toda a extensão que atravessa o concelho de Guimarães. Domingos Bragança destaca entusiasmo para a concretização de projeto estruturante, com a envolvência das juntas de freguesia.

Uma Ecovia ao longo do rio Ave, a passar por 14 freguesias e Uniões de Freguesias, com a criação de pontos de interesse ao longo do percurso, promovendo a contemplação da fauna e flora, promovendo a valorização do património natural e a aproximação ao rio. Esta é a base da proposta de traçado da Ecovia do Ave, apresentada esta terça-feira, 12 de janeiro, num projeto elaborado pelo Laboratório da Paisagem e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em coordenação com a Câmara e as juntas de freguesia.

Preservar a integração paisagística de toda a extensão da galeria ripícola é um dos objetivos pré-definidos para a Ecovia do Ave, permitindo recuperar, de forma consciente, os percursos já existentes e sensibilizar a população para a importância da preservação e promoção da biodiversidade de Guimarães.

Domingos Bragança destaca o “entusiasmo” para a concretização deste projeto através da “envolvência de todos” e com “pragmatismo”. “Há um trabalho imenso pela frente que permitirá vivermos mais em harmonia com a natureza. Reconhecemos que há sítios difíceis, mas temos de encontrar modos de redefinir os percursos quando necessário para completar esta ecovia do Ave que irá proporcionar a Cidade abraçar o rio, no Parque de Ardão”, salientou o Presidente da Câmara de Guimarães.

A Ecovia do Ave estabelecerá a ligação entre várias freguesias, desde Serzedelo, Gondar, Ronfe, Selho S. Jorge, Silvares, Brito, UF Sande Vila Nova e Sande S. Clemente, Ponte, Caldelas, Prazins Stª Eufémia, Barco, UF Briteiros St. Estêvão e Donim, UF Souto Santa Maria, Souto S. Salvador e Gondomar e UF Arosa e Castelões.

A sessão, realizada por videoconferência, contou com a participação dos Presidentes das Juntas de Freguesia e permitiu conhecer ainda alguns projetos que resultarão na proposta da Ecovia do Selho. Através do Laboratório da Paisagem, foi revelado o projeto pioneiro sobre a inventariação e avaliação ambiental de obstáculos no Rio Selho, desenvolvido pela Universidade do Minho, no âmbito da promoção e valorização do Património Natural.

Domingos Bragança expressou, noutro âmbito, a vontade em ter todas as freguesias do concelho a participar no programa Eco Freguesias XXI. Este programa foi explanado por Margarida Gomes, coordenadora nacional da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) no sentido de reforçar o envolvimento de todas as freguesias na concretização de projetos a nível do desenvolvimento sustentável. O Município de Guimarães assume os custos de comparticipação das freguesias e a submissão de candidaturas pode ser feita até 15 de fevereiro, com o apoio da Autarquia e Laboratório da Paisagem na elaboração das respetivas candidaturas.


Nesta sessão foi ainda apresentado o questionário de perceção e hábitos ambientais dos Vimaranenses pela diretora da Universidade das Nações Unidades, Delfina Soares, destacando que o documento será um “suporte para tomada de decisão e definição de políticas públicas”.


 


 


Partilhar