Estrutura de retaguarda para acolher doentes


O Município de Guimarães disponibiliza esta resposta desde início da pandemia nas instalações do Seminário Verbo Divino, em articulação com o Hospital de Guimarães.

A Estrutura Municipal de Retaguarda Covid-19, instalada no Seminário do Verbo Divino, vai ser adaptada no sentido de corresponder às necessidades do Hospital de Guimarães, tal como tem sucedeu no decurso da pandemia. Nos próximos dias está previsto aumentar a disponibilidade para 46 camas para doentes infetados com a Covid-19, num total de 77 camas que dão resposta a utentes Covid positivos, utentes em isolamento profilático e utentes negativos sem retaguarda familiar. Até ao momento já foram acolhidas cerca de 190 pessoas na Estrutura Municipal de Retaguarda COVID-19, numa resposta articulada com o Hospital de Guimarães e também com os serviços da Ação Social. Neste momento a Estrutura de Retaguarda acolhe 18 utentes, encaminhados pelo serviço de hospitalização domiciliária do Hospital de Guimarães e pelo Serviço da Ação Social. 
 O Presidente da Câmara, Domingos Bragança, refere que “esta estrutura de retaguarda é crucial para a resposta do Hospital, permitindo desta forma encaminhar os doentes estáveis e libertar camas hospitalares para novos internamentos. 
Tudo fazemos para que a pressão que vemos noutros hospitais não atinja o Hospital Senhora da Oliveira”. 
 A autarquia garante a operacionalização da estrutura através do fornecimento de todos os meios e recursos necessários para que sejam garantidos os cuidados de higiene, conforto e alimentação aos utentes e assegura também todo o suporte logístico associado ao funcionamento desta estrutura, através de uma equipa técnica composta por profissionais que, organizados em turnos, garantem o acompanhamento dos utentes durante 24 horas. 
 Esta é mais uma medida que a autarquia assegura para corresponder às necessidades identificados no Concelho de Guimarães no combate à pandemia da COVID-19.  

Partilhar