Vizela fora dos 36 concelhos a Norte com taxa de incidência superior a 960 novos casos


Dos 36 concelhos com uma taxa de incidência superior a 960 novos casos, 11 situam-se no distrito de Braga: Barcelos, Braga, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Esposende, Guimarães, Povoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão e Vila Verde.

Trinta e seis concelhos do Norte registaram uma taxa de incidência superior a 960 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, com Miranda do Douro a atingir os valores mais elevados, revela esta quarta-feira um relatório oficial da ARS-Norte

 que a Agência Lusa teve hoje acesso, e que reporta a evolução da situação epidemiológica entre as últimas semanas de dezembro (de 22 a 28) e as primeiras de janeiro (de 5 a 11).

Nos últimos 14 dias, foram 36 os concelhos a Norte que registaram uma taxa de incidência superior a 960 novos casos por 100 mil habitantes, mais 20 concelhos do que o anterior relatório, que tinha dados até 6 de janeiro.

Nesta última semana, 35 concelhos registaram uma taxa de incidência superior a 480 novos casos por 100 mil habitantes.

Estão nesta situação menos nove concelhos do que no anterior relatório.

Segundo o documento, a taxa média da região Norte fixa-se agora nos 970 novos casos por 100 mil habitantes.

Ao distrito de Braga sucede-se o distrito de Vila Real, onde nove municípios acompanharam a elevada incidência: Boticas, Chaves, Mondim de Basto, Montalegre, Peso da Régua, Ribeira de Pena, Santa Marta de Penaguião, Valpaços e Vila Real.

Os concelhos de Bragança, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Mogadouro e Vimioso, no distrito de Bragança, também registaram valores de incidência superiores a 960 novos casos.

Miranda do Douro é o concelho a Norte com a maior taxa de incidência: 3.601,8 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Seguem-se os concelhos de Mogadouro, Boticas e Peso da Régua, onde as taxas de incidência são superiores a 1900 novos casos.

Um JORNAL DE NOTÍCIAS

Partilhar