Vítor Oliveira na estrutura dos Censos em Guimarães

 
VITOR OLIVEIRA

A Câmara Municipal de Guimarães, em parceria com o Instituto Nacional de Estatística, iniciou já a fase preparatória para o processo de realização dos recenseamentos da população e da habitação – CENSOS 2021 – os quais se apresentam como fundamentais para dotar o país de um leque alargado de informação indispensável para a decisão e implementação de políticas públicas ajustadas à realidade. Com o objetivo de preparar esta importante operação estatística, uma delegação do INE efetuou já uma primeira reunião em Guimarães no sentido de adaptar a realização dos CENSOS 2021 ao tempo de pandemia. 

De acordo com essa reunião, estão já recrutados os coordenadores municipais por parte do INE.

Nesta altura, estão em fase de recrutamento os recenseadores, que terão de ter competências digitais, conhecimento da freguesia e interesse em fazer parte desta operação. 

As candidaturas às funções de “Recenseador” estão disponíveis através do preenchimento de um formulário eletrónico até ao dia 21 de fevereiro, no seguinte endereço: https://recrutamento.ine.pt “Estamos num tempo atípico e a edição deste ano dos CENSOS será muito digital! A colaboração de todos na recolha de dados é imprescindível para o seu sucesso, pelo que agradeço, desde já, a abertura e disponibilidade demonstradas por todos os Presidentes de Junta e por todos os munícipes de Guimarães que estarão envolvidos na implementação de várias vertentes desta operação estatística, assim como a todos os Vimaranenses pela prestação de informação num modelo tão especial em tempo de pandemia, e que apenas se realiza de 10 em 10 anos”, refere o Presidente do Município, que designou Vítor Oliveira assessor de Domingos Bragança, para integrar a estrutura executiva dos CENSOS 2021. 

O 16º Recenseamento da População e o 6º Recenseamento da Habitação terão lugar em 2021. Ao longo de mais de 150 anos os CENSOS têm colocado à disposição da sociedade o maior retrato estatístico de Portugal. 

Trata-se de uma informação censitária útil para organismos públicos, entidades privadas e cidadãos em geral, enquanto fator essencial para a planificação de serviços ou para a definição de políticas em áreas como a educação, a saúde, a habitação e o emprego. 

“No atual contexto epidemiológico, pretende-se também que a operação decorra em condições de segurança de saúde pública, minimizando riscos de propagação de infeção por todos os agentes envolvidos. 

Assim, é objetivo do INE conferir visibilidade e credibilidade aos Censos 2021, criando um clima de confiança com a garantia das condições que serão asseguradas para a participação da população. O tradicional processo de distribuição de questionários porta-a-porta é substituído, sempre que possível, pela entrega de uma carta com a informação necessária para a resposta através da internet. 

Deste modo de recolha de informação reveste-se ainda de maior relevância, tendo também em conta que minimiza os contactos presenciais entre recenseadores e cidadãos”, especifica Rita Cascais, Coordenadora do INE.

Partilhar