Morreu Luís Caldas conhecido livreiro vimaranense


Faleceu esta quinta-feira, vítima de doença prolongada Luís Caldas, conhecido livreiro, gráfico e dirigente associativo de Guimarães informou a Rádio Santiago do qual foi colaborador entre outros órgãos de informação. 

Luís Augusto da Costa Caldas, de 81 anos, faleceu em Melgaço, onde se encontrava internado e o velório realiza-se a partir das 19 horas desta quinta-feira, na Capela de. S. Francisco.

 Amanhã, sexta-feira, pelas 16h00, é celebrada missa de corpo presente. No final, o corpo vai a sepultar em jazigo de família no cemitério Municipal da Atouguia.

Presidente da Câmara apresenta condolências pelo falecimento de Luís Caldas.

O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, apresenta as mais sentidas condolências à família de Luís Caldas, que faleceu esta quinta-feira, 29 de abril.

Luís Augusto Chaves da Costa Caldas, tinha 81 anos, foi um ativista cultural de Guimarães, com intervenções de relevo em várias associações, um livreiro histórico que iniciou funções na antiga livraria Lemos, desempenhou funções na Livraria Raul Brandão e, entretanto, foi fundador e sócio-gerente da Livraria Ideal, em pleno Centro Histórico de Guimarães, onde sempre se prontificou no apoio à promoção dos autores e artistas vimaranenses na arte das letras.

Foi presidente da Direção da Associação do Gabinete de Imprensa de Guimarães e integrou, por diversas vezes, os Corpos Sociais desta associação, com um papel ativo nos meios da imprensa local, onde colaborou com diversos meios de comunicação, nomeadamente no Grupo Santiago, Povo de Guimarães e Notícias de Guimarães.

Enquanto uma personalidade incontornável do movimento associativo desempenhou ainda os cargos de Presidente da Assembleia Geral do Círculo de Arte e Recreio (CAR), foi vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Guimarães (ACIG) e dirigente do Cineclube de Guimarães, deixando um legado de honestidade, humildade, responsabilidade e respeito.


Partilhar