Novo sistema de estacionamento em Santo Tirso

 

O contrato de concessão do estacionamento na cidade de Santo Tirso entra hoje em vigor. Esta primeira fase, que decorrerá até ao final do mês de maio, será destinada à sensibilização da população em geral.

 O novo sistema de gestão visa promover uma maior rotatividade do estacionamento no centro da cidade, dando resposta a uma necessidade há muito reclamada pelo comércio local. Vem, também, modernizar todo o serviço, designadamente com a entrada em funcionamento da aplicação Via Verde Estacionar.

Esta aplicação é gratuita e pode ser instalada num telemóvel, dispensando a necessidade de moedas e permitindo pagar apenas o tempo de estacionamento efetivamente utilizado. Além disso, entre outras vantagens, os utilizadores poderão prolongar a duração do estacionamento, sem precisarem de se deslocar até à sua viatura.

Com a entrada em funcionamento da concessão do estacionamento foram, também, substituídos todos os parcómetros, nos locais onde já existiam, por equipamentos de última geração, cuja utilização é mais fácil e intuitiva.

A tarifa do estacionamento de rua, no horário das 9h00 às 19h00 (dias úteis), passa a ter um custo de 60 cêntimos/hora, na zona central da cidade. Nas ruas adjacentes, o valor aplicado é de 50 cêntimos/hora. Passa, também, a ser pago o estacionamento no parque inferior da Câmara Municipal e no parque da Rua do Retiro (junto à piscina municipal), onde é aplicada uma taxa de 60 cêntimos/hora.

Estes valores são inferiores ao da média das tarifas aplicadas na Área Metropolitana do Porto e noutros municípios vizinhos de Santo Tirso.

Os restantes seis parques de estacionamento existentes mantêm-se gratuitos, estando prevista a pavimentação do parque da Rua Nova da Telheira, cuja obra arrancará antes do final de julho, e a beneficiação do Parque da Feira, também este ano, que irá envolver o aumento do número de lugares e a criação de melhores condições de parqueamento.

O contrato de concessão do estacionamento em Santo Tirso é um processo que transita de 2018, mas que só agora entra em vigor devido à situação pandémica e, também, após a renegocia

Partilhar