FELIZ NATAL

Vizelense apresenta na Exponor o primeiro stand todo em cabedal feito a partir de resíduos de calçado

Stand foi uma novidade na exposição Concreta 2015 da Exponor tendo despertado o interesse do público, de jornalistas, de estudantes de engenharia e de defensores do meio ambiente agradados com o aproveitamento que se faz a partir dos excedentes de fabrico de calçado.

Estudantes universitários de engenharia e arquitetura estudam projeto

Luís Pinheiro, sócio-gerente da empresa J. Vaz Pinheiro, atualmente sediada em Ancide-Moreira de Cónegos, não esperava tamanha reação das milhares de pessoas que passaram pela Exponor em Matosinhos desde quinta a domingo.
A Concreta 2015, feira com realização de dois em dois anos, destinada à apresentação de materiais destinados à construção de habitações e empresas, teve no stand deste vizelense um dos maiores chamariz da feira pois poucos julgavam possível fabricar painéis em couro com resistência próxima do betão e capaz de servir para isolamentos de som, térmicos, e de decoração de estabelecimentos comerciais, como bares, sapatarias, etc. e casas particulares.

 Maria do Céu Peixoto de visita ao stand do seu afilhado Luís Pinheiro na Exponor
Estudantes de engenharia civil mostraram-se apaixonados por este produto idealizado e fabricado, já com patente assegurada, portanto um produto inédito, para todo o mundo, do vizelense Luís Pinheiro. Inúmeras encomendas foram contratualizadas para todo o País e até para o estrangeiro.
A primeira exposição deste material decorreu em Abril na Feita de Barcelona "Construmat" onde o interesse demonstrado pelos visitantes e imprensa foi também constante.
Stand teve sempre a presença de muitos visitantes

Refira-se ainda que a Câmara Municipal de Guimarães demonstrou grande interesse em conhecer esta produção tendo o presidente Domingos Bragança recebido no seu gabinete o empresário vizelense Luís Pinheiro encaminhando-o para o CVR- Centro para a Valozização de Resíduos de Guimarães.
Neste região, sobretudo em Felgueiras, são enterradas em aterros várias toneladas de pele por semana o que demoraram cerca de 20 anos a desfazer-se pelo que a produção da J.Vaz Pinheiro (www.naturdecotch.com), utilizando estes desperdícios de pele em couro, revela-se uma mais valia para a defesa do meio ambiente.
Paredes, tampo da mesa e assento do banco tudo em couro