VISITE VIZELA

Ouviu-se a "Samaritana" no adeus ao fadista Manuel Almeida

"Guitarras trinai, viradas ao céu, fadistas chorai, Manuel Almeida morreu".



Foi com uma estrondosa salva de palmas que a urna com os restos mortais do bombeiro e fadista Manuel de Almeida  (conhecido também por Manuel Cavaco) deixou esta tarde a repleta igreja de S. Miguel rumo ao cemitério de S. Migue das Caldas.

A missa de corpo presente, celebrada pelo arcipreste Constantino Sá e concelebrada pelo pároco de Santa Eulália P. José Fonseca Lemos, contou com a presença do Corpo Ativo e fanfarra dos Bombeiros de Vizela, Grupo Coral de S. Miguel e a Orquestra da Sociedade Filarmónica Vizelense.
Referências elogiosas ao Homem e vizelense foram  dirigidas pelos dois sacerdotes que não esqueceram de referenciar os grandes dotes de fadista que eram há muitos anos reconhecidos a Manuel Almeida.
A banda entoou o tema "Samaritana plebeia de Sicar", espólio do repertório coimbrão do qual Manuel Almeida foi um fiel divulgador com a sua cristalina voz quer através do Grupo Vizela a Cantar ou do Grupos Os Amigos do Fado.
A Samaritana, divinalmente interpretada pelos músicos da SFV, foi um momento muito emotivo com grande parte dos presentes a não conseguirem suster as lágrimas.
A música em Vizela perdeu um dos seus melhores interpretes, como disseram os sacerdotes: "Ficou o céu a ganhar".
Manuel Luís de Almeida tinha 83 anos e faleceu no último sábado.