O ddV saúda todos os candidatos às autarquias do Concelho de Vizela concorrentes às eleições de 1 de outubro. Viva o Concelho de Vizela.

TALOCHA: Já me considero um Vizelense e quero voltar

Aos 26 anos de idade, João Carlos Araújo Fonseca Silva, com alcunha de Talocha adoptada de seu pai, também ex-jogador do FC Famalicão, atingiu o sonho de qualquer jogador que milita nas provas amadoras: representar um clube da I Liga. Talocha disse ao ddV que já se sente um vizelense, que passou três anos maravilhosos no FCV e quer voltar um dia. Para já tem dois anos com o Boavista.


ddV - Quando tomou conhecimento do interesse do clube do Bessa?
TALOCHA - Logo que o Vizela subiu à Liga 2 fui abordado por representantes do Boavista que vinham a observar-me há algum tempo e propuseram-me um contrato profissional de dois anos. Fiquei radiante. Era o meu sonho. É o sonho de qualquer jogador representar um clube da I Liga.

- Vai deixar a oficina em Famalicão?
- Sim. Tive de me despedir do emprego mas o patrão, que se mostrou muito satisfeito por eu ir para o Boavista, disse-me que tenho a porta aberta se quiser regressar à oficina e desejou-me sorte. Agora sou profissional doutra área.

- Foi convidado por outros clubes?

- Da I Liga apenas pelo Boavista. Tive vários convites, mas da Liga 2 e do Campeonato de Portugal.

- Acha que consegue chegar ao Bessa e firmar lugar na equipa principal?
- Não é facil mas farei tudo por isso. Quem me conhece, sabe que não desisto nem tenho medo de dar o máximo. Quero jogar, vou dar tudo para consegui-lo.

- Como analisa a última época do Vizela?
- Foi maravilhosa. Perdemos, com muita pena minha, a final em Abrantes, mas todos sabem que foi injustamente porque marcamos um golo limpo. Subimos o Vizela à Liga 2, isso era o mais importante e foi conseguido.

- Vai ter saudades de Vizela?
- Sim, muitas. Fui muito feliz, conheci pessoas maravilhosas que não vou citar pois corro o risco de me esquecer de alguém e hoje sinto-me um verdadeiro vizelense. Quero voltar um dia ao FC Vizela.

- Os dois golos que marcou pelo Vizela ao Sporting para a Taça de Portugal tiveram algum impacto na sua carreira?
- Para além do ênfase dado pela imprensa não senti mais nada. Não penso que foram esses golos que despertaram o interesse do Boavista.

- O Bessa fica perto de Famalicão...
- (risos) É verdade. Continuo a jogar perto de casa. Mas quero ajudar o Boavista a ir longe e eu também. E um dia voltar ao FC Vizela clube que tenho no coração.