Visite Vizela

"Se Manuel Campelos nunca se esqueceu de Vizela, Vizela nunca se esquecerá de Manuel Campelos".

- António Magalhães, ex-presidente da Câmara Municipal de Guimarães presente no funeral.
- Dom Abade de Singeverga, Dom Bernardino Ferreira da Costa, natural de Santo Adrião de Vizela, celebrou Eucaristia coadjuvado pelo Diácono Miguel Mendes de Santa Eulália.
- Victor Hugo Salgado foi aplaudido na igreja pela sua intervenção dedicada ao "sonhador vizelense" 
- Missa de 7° Dia celebra-se a 1 de Setembro (sábado) às 18 horas em S. João das Caldas.


Num dos dias mais quentes do ano, com os termómetros muito acima dos 35 graus, o corpo do maior lutador pela criação do Concelho de Vizela desceu à terra fria ao som do Hino de Vizela e do fado A Montanha Azul de António Severino que a aparelhagem de som da Agência Funerária Fernandes & Monteiro fez soar no cemitério de S. João das Caldas.
Era o último adeus a Manuel Campelos, a um homem que nunca deixou de acreditar naquilo que tantos consideravam impossível tal as forças adversas que se opunham à Restauração do Concelho de Vizela.

A igreja de S. João, não obstante tantas pessoas de férias, inclusive os párocos do Concelho de Vizela, esteve repleta e foram muitos que acompanham o féretro do pai do Concelho de Vizela até à sua última morada.
Para trás ficava uma capela funerária que esteve rodeada de muitas flores, da Bandeira do Concelho que a Câmara expôs ontem, a bandeira do Futebol Clube de Vizela, clube do qual onde Campelos foi dirigente e a sua medalha de ouro Municipal também lá estava.

A Eucaristia, abrilhantada pela bonita voz de Francisca Mendes acompanhada nas teclas e violino, pelos irmãos Ramos, teve uma homilia perfeita introduzida pelo D. Abade Bernardino que associou biblicamente o nome de MANUEL ("Deus connosco"), a alguém que servira Deus como seu agente, referindo-se a Manuel Campelos.

"Se Manuel Campelos nunca se esqueceu de Vizela, 
Vizela nunca se esquecerá de Manuel Campelos" 
- Palavras do Presidente da Câmara Municipal de Vizela.

Com autorização do celebrante, o presidente da Câmara Municipal de Vizela, Victor Hugo Salgado, subiu ao púlpito para dizer:

"Muito boa tarde a todos os presentes.
Aproveito este momento, de extrema tristeza, para, em nome de toda a comunidade Vizelense, que hoje se curva, de forma afectuosa e respeitosa, perante a memória do Sr. Manuel Campelos, endereçar à sua família e aos inúmeros amigos as mais sentidas condolências.

Este é um momento relevante para a história do nosso concelho de Vizela, triste, mas marcante.

Partiu hoje uma figura ímpar, um dos mais proeminentes nomes da nossa luta autonómica, um homem de traço distinto e cada vez menos comum, que se entregou a uma causa pública, de forma abnegada.

Manuel Campelos partiu descansado e com sentido de dever cumprido, tendo em consideração que entregou mais de três décadas, 30 anos da sua vida, de forma contínua, persistente e desprendida ao sonho de emancipação autonómica, que se tornou realidade no dia 19 de Março de 1998.

No dia de hoje partiu o Homem que ficará para sempre como o principal rosto da luta autonómica Vizelense, não obstante tantos outros, milhares de vizelenses, estarem associados a essa mesma luta e sempre com o mesmo objetivo.

Perder Manuel Campelos é perder o rosto do Sonho, da Independência, da Coragem e da Perseverança de um Povo, uma das vozes mais ativas pela conquista da emancipação administrativa do concelho de Vizela.

Como todos sabem, a nossa luta, como todas as lutas, foi feita de altos e baixos, e este homem foi um lutador incansável, foi sem dúvida grande, grande em todos os momentos, mas foi, sobretudo, fundamental nos momentos mais difíceis, em que era difícil acreditar e ele acreditou.

Manuel Campelos foi fundador e líder do Movimento para a Restauração do Concelho de Vizela, integrou a Comissão Instaladora do Município de Vizela logo após a sua criação em 1998 e é cidadão honorário do Município de Vizela, a quem os vizelenses atribuíram a Medalha de Ouro. Digo é, porque o seu nome está e ficará para sempre intrinsecamente ligado à história do concelho Vizela.

Concluo afirmando, da mesma forma que Manuel Campelos não se esqueceu de Vizela e dos sonhos dos vizelelenses, posso aqui afirmar, que Vizela e os Vizelenses, como pessoas generosas e agradecidas, nunca esquecerão Manuel Campelos.
Obrigado Manuel Campelos. Obrigado em nome Povo de Vizela".

A intervenção do Presidente da Câmara, escutada pelos seus colegas do Executivo, e pelo anterior presidente Dinis Costa e António Magalhães, presidente da Câmara Municipal de Guimarães aquando parte do período quente da luta de Vizela mas que manteve sempre uma posição cordial com Manuel Campelos apesar de se encontrarem em "barricadas" diferentes, aplaudiram de pé aquelas que eram as palavras oficiais do momento tal como toda Assembleia que enchia a casa de Deus.

A urna de Manuel Campelos saiu do adro da igreja debaixo duma grande ovação e seguiu para o cemitério no carro dos Bombeiros ladeada pelos soldados da paz liderados pelo seu Comandante Paulo Félix.

Diácono Miguel ovacionado

Coube ao Diácono representar a Igreja no cortejo fúnebre até ao cemitério ((D. Abade tinha compromissos religiosos em Singeverga onde referiu também haver falta de sacerdotes e como tal não pôde acompanhar o funeral até ao cemitério) onde Miguel Mendes dirigiu algumas calorosas palavras muito aplaudidas. Contou que conheceu Manuel Campelos há poucos anos, que ficou logo a admira-lo, e recordou a palestra que dera no Casal do Telhado com os idosos a ficarem maravilhados pela forma como Manuel Campelos falava da restauração do Concelho de Vizela.
Citando o que lera no ddV, Miguel Mendes diz que encontrou palavras que identificavam plenamente Manuel Campelos como "corajoso, determinado, sério, forte, valioso, vitorioso, etc. etc.

Depois de tocar o Hino de Vizela, a filha Alexandra Campelos pediu que todos os presentes dessem as mãos ao som de A Montanha Azul (um fado que Campelos adorava) ajudando o pai a subir a montanha em direção ao Céu.

"Meu Deus, onde está Jesus,
 filho de Maria
O Rei Salvador que morreu na cruz
Meu Deus, senhor me conduz
Leva-me à montanha lá perto do céu
Onde está Jesus?
Subi montanha
Falei com Jesus
E tive na mão
Um raio de luz
E lá na montanha
Fui beijar a cruz
E numa oração
Falei com Jesus
Meu Deus, que és o Redentor
Mostra-me o caminho
Eu quero encontrar todo o seu amor
Meu Deus, senhor me conduz
Leva-me à montanha lá perto do céu
Onde está Jesus".

Novamente as palmas e lágrimas caíram no campo santo.

E pode lá Manuel Campelos estar noutro lugar senão no Céu?
..............
- A missa de 7°Dia foi marcada para 1 de Setembro pelas 18 horas em S. João das Caldas de forma a juntar o maior número de pessoas que não puderam estar presentes no funeral devido às férias, como justificou D. Bernardino.