FELIZ NATAL

"Ponto Final.Parágrafo" promoveu discussão à volta da morte

Teve lugar no passado dia 14 de Janeiro, em Vizela, o colóquio “Ponto Final. Parágrafo”. Um evento dedicado sobretudo à morte, mas que tinha também como objetivo a celebração da vida.


A morte foi de facto o tema central, tendo sido alvo de abordagens diferenciadas pelos oradores convidados. Refletir e discutir sobre a morte tornou o evento num evidente sinal de vida.

No auditório da Real Associação do Bombeiros Voluntários de Vizela estiveram presentes cerca de 50 pessoas, revelando-se um público muito interessado nas diversas apresentações e intervenções.

Dos cinco oradores convidados, o Prof. João Carlos Macedo, docente na Escola Superior de Enfermagem da Universidade do Minho e autor do livro “Educar para a Morte”, foi o primeiro a dirigir-se ao público presente. Dando ênfase à ideia de que é necessário pensar-se e refletir-se sobre o fim da vida, entre outros assuntos relacionados, referiu-se à importância do “Testamento Vital”.

De seguida, um testemunho intenso, comovente e corajoso por parte da Dr.ª Maria do Resgate Salta, médica e figura sobejamente conhecida e reconhecida em Vizela. Na primeira pessoa, relatou vários episódios da sua vida pessoal e profissional que envolveram a morte.

Seguiu-se-lhe o Prof. Dr. João Batista, membro do Centro de Investigação em Psicologia da U. Minho e corresponsável pelo projeto “Consulta de Luto Online”, com uma abordagem esclarecedora sobre o luto e as suas várias tipologias, também formas e técnicas de como o ultrapassar.

Na segunda parte do evento, Vitor Monteiro, sócio-gerente e Diretor Técnico de agência funerária, com cerca de três décadas de experiência profissional na área, brindou os presentes com uma intervenção recheada de curiosidades ligadas à sua prática profissional e carregada de positivismo.

Por fim, Jorge Coelho, mestre em Turismo e professor no Instituto de Estudos Superiores de Fafe, abordou o fenómeno do Turismo Negro e apresentou o projeto online que gere, dedicado à promoção e divulgação do mesmo. Ficou-se a saber da existência de uma relação curiosa e interessante entre turismo, educação, cultura, património e a morte.

Com moderação de Ricardo Vieira, técnico municipal da área da juventude da autarquia vizelense, o evento prosseguiu com a intervenção do público, que entusiasmado colocou diversas questões aos oradores, resultando até em agradável conversa.

Tal como previsto, o evento terminou com a recitação de poesia numa clara alusão à presença da morte também nas artes. Domingos Ferreira e Vitor Monteiro, de forma fantástica, foram os responsáveis por cerca de vinte minutos poéticos cuja intensidade fez jus à certeza da morte, mas também à beleza da vida.

Elementos da sociedade civil estiveram na génese de um evento coorganizado pela Câmara Municipal de Vizela, com o apoio da Real Associação dos Bombeiros Voluntários de Vizela, da Fundação Jorge Antunes e da Escola Superior de Tecnologias do Instituto de Estudos Superiores de Fafe, que tendo sido participado pela comunidade, resultou num bom exemplo de cidadania, que se deseja ver replicado num futuro próximo, sobre esta ou outras temáticas.