Marques Guerra e esposa com direito a serenata dos seus descendentes

Bodas de Diamante deram direito ao cantar dos parabéns e ao fado Maria se Fores ao Baile (que o aniversariante costumava cantar em serenatas à sua simpática esposa) desde o chão da Praça da República até à varanda da casa onde o casal Manuel Marques Guerra e Maria Oliveira vive há várias décadas. Filhos, filhas, genros, noras, netos e até um bisneto entoaram, ao som da viola tocada pelo filho José Manuel Marques, maestro da Sociedade Filarmónica Vizelense, temas que o líder de tão numerosa e afável família vizelense, costumava tocar em serenatas, no Grupo Vizela a Cantar, no Conjunto Alegria ou quando ensinava jovens aprendizes a tocar viola uma das suas grandes paixões.




Manuel Marques mereceu o ano passado o mais alto reconhecimento do Município de Vizela pela dedicação que sempre teve à sua terra nestes quase 86 anos de vida (idade que completa no próximo dia 6 de junho).

Para além da música foi um apaixonado do desporto, sobretudo do futebol, tendo vestido a camisola do Futebol Clube de Vizela, clube que também foi representado por todos os seus filhos que herdarem o jeito do pai para a bola, Moisés (o que foi mais longe na carreira tendo representado o FC Vizela, Varzim e Moreirense), José Manuel, Jorge, António e Luís. Para além deste filhos o casal aniversariante conta com as filhas Camila e Elisabete.


Manuel Marques e Maria Oliveira casaram há 60 anos na Igreja Matriz de S. Miguel em 1960, conhecida por Igreja Velha, porquanto a nova igreja daquela paróquia só seria construída dez anos mais tarde, há precisamente meio século, em 1970.


A história de vida de Manuel Guerra confunde-se um pouco com a história de Vizela porquanto tudo que mexesse com Vizela ele estava lá, fosse nas Comissões de Festas da Vila, cujo recorde de presenças ainda lhe pertence e onde tinha a árdua tarefa de  organizar concursos tão aguerridos como as Feiras de Gado onde nenhum dos proprietários dos exemplares gostavam de perder, no Vizela  Cantar, no Futebol Clube de Vizela, na Sociedade Filarmónica Vizelense onde foi um grande renovador ao ponto de hoje existir na sede desta instituição uma sala de leitura com o seu nome, na Associação Comercial de Vizela onde foi um dos fundadores, no Notícias de Vizela onde ocupou as funções de chefe de redação das páginas desportivas, no Grupo Coral de S. Miguel, no apoio à legalização da Rádio Vizela, no Grupo Amigos da Ponte Velha, etc.
Da varanda de sua casa, virada para a Praça (e que outra residência poderia ser senão direccionada para a sala de visitas de Vizela?), Manuel e Maria brindaram ao amor que os une num casamento de 60 anos enquanto os seus descendentes, que fazem honra a este amor brotado há tantos anos sendo todos pessoas exemplares, lançavam rosas de várias cores para as mais lindas rosas que lhes sorriam da varanda. Foi bonito. O amor é assim!
Os beijos e abraços ficaram agendados para outra altura que se espera breve.













Partilhar