"Moinhos da Cascalheira"

Gravura de 1886 de João de Almeida recolhida por António Cunha por cortesia de Nuno Saavedra ao qual este agradece toda a disponibilidade.


COMENTÁRIO DE JÚLIO CÉSAR
Desenho de João Almeida, inserido no 1º. Volume: Minho Pitoresco, de José Augusto Vieira, 1886, cujo preço actualmente, para os 2 volumes, ronda os 600 euros:
Uma ligeira descrição, desta importante obra:
"Tem a consagração dos felizes e dos parvos, que muitas vezes são os mais felizes. Mas, apesar de tudo, a Cascalheira e o Moinho que lhe fica perto, são deliciosos a valer, como paisagem perfumada de um bucolismo adorável. As colónias dos banhistas visitam muitas vezes estes pontos, sobretudo queridos da gente nova, que se ama, e que acha tanto mais belo o passeio, quanto mais extenso é. Os papás, as mamãs, as tias ficam ordinariamente na margem direita; eles vão saltando as pedras da Cascalheira, entre os risos e os pequeninos medos das românticas meninas, até descansarem no Moinho, vendo a roda da azenha trabalhar alegremente na sombra. Um ou outro incidente corta muitas vezes a travessia; uma donzela tímida, que molhou a botina, deixando rapidamente entrever a perna bem torneada, um gordo que chegou a cair na água, um dandy querendo simular de valente e que deixa cair a dama a que pressurosamente tinha oferecido a mão forte, como ponto de apoio fraco. Os episódios comentam-se depois, enquanto os namorados protegidos pelo ruído do açude, confidenciam os seus amores esperançosos. Outras vezes esses episódios trazem consequências sérias, ou consequências alegres; uma entorse que faz o desespero da senhora que a arranjou, no primeiro caso; os amores terminando em eclipse de himeneu para a menina que mostrou graciosamente a permita bem feita, no segundo caso".
Além deste desenho tem mais 1 (lindíssimo) da Ponte Romana...

COMENTÁRIO DE TORCATO FARIA
Visto assim o desenho, e vendo a corrente da água, o moinho ficaria na margem esquerda do rio. Ora poderemos questionar o local, o sítio dessa 'cascalheira'. Tendo em conta que do lado esquerdo do desenho se vê uma elevação de terreno... podemos pensar, supôr que poderá não ser a mesma 'cascalheira' que hoje conhecemos. Ou seja: pode ser mais acima ou mais baixo. E isto sou eu a supor. Não estou a afirmar nada. Apenas levanto dúvidas como manda a ciência e a cautela.

COMENTÁRIO DE JORGE MIRANDA
A elevação à esquerda parece corresponder à zona entre Lagoas e Frades na elevação para o São Bento. Está a fazer-me confusão porque o moinho parece na margem esquerda, mas à direita parece uma levada de água em sentido oposto à corrente. Ora e assim sendo esse deveria ser o local da actual ponte. Alguém está a ver de maneira diferente?

COMENTÁRIO DE ANTÓNIO CUNHA
Os moinhos da Cascalheira localizavam-se no "meio do rio".
Um mapa de 1862 já identifica este moinhos e a localização exacta.
O nível das águas era superior ao dos dias de hoje resultado da existência do açude da Cascalheira que ficava uns metros a jusante destes moinhos, entretanto demolido, dando lugar ao açude da turbina do parque.

NR - Os textos e gravuras sobre o passado de Vizela que o ddV publica, com a colaboração destes e de outros interessados vizelenses, visam deixar para os vizelenses do futuro algo mais do que receberam os atuais pesquisadores e investigadores de Vizela que o fazem por paixão. Não nos cansaremos de os publicar.

Partilhar