Grupo Os Amigos do Fado de Vizela

José Guerra (viola), Rogério Caldas (voz) José Mendes (guitarra) e Bernardino Silva (em baixo)
Nascido na década de 70 dedicava-se a cantar o fado, sempre de forma generosa.
José Maria Mendes da Costa (aprendeu a tocar guitarra com o Sr. Seixas, guarda do Jardim Maria do Resgate Salazar-Vizela) e José Marques Guerra (viola) eram os instrumentistas. Mais tarde Manuel


Convívio do GAF em 1988 na Pensão Nacional, Vizela.

Marques entrou como tocador de viola no grupo. Após o falecimento de José Mendes, em 1987, o GAFV nunca mais conseguiu um guitarrista pois em Vizela não há ensino de guitarra portuguesa.
Hoje valem-se apenas da viola do Manuel Marques para cantarem alguns fados nas suas festas particulares.
Rogério Caldas (fadista), José Guerra (viola), José Mendes (guitarra)...



As vozes que deram (e dão) corpo ao Grupo dos Amigos do Fado: Manuel Almeida Cavaco (f), Rogério Caldas (f), Alfredo Cunha, Paulo Martins (f), Bernardino Silva, Alfredo Pinto, António Amaral, Manuel Pereira Barateiro, Gilberto (f) e José Dias...
José Ribeiro Borges é tratado como Presidente deste Grupo, tendo havido ainda outros colaboradores como Jorge Costa,  Pedro Cunha, Jorge Vila Real, Bernardino Gomes, José Adolfo Costa (Pensão Nacional)...


25 de abril de 2018 na Bica de Água Quente

Todos os anos o GAF celebra a revolução do 25 de abril  tendo como passagem obrigatória a Bica de Água Quente na Praça da República onde é cantada (por quem quiser aparecer) a Grândola Vila Moreira, senha da revolução dos cravos. O Grupo nunca cobrou dinheiro pelas suas atuações em muitas terras do Norte onde cantava o fado de Coimbra, de Lisboa e temas do folclore rural.
O Grupo Os Amigos do Fado assume-se como autor da música e letra da célebre canção Rio Vizela.
Na década de 70 foi gravado por este Grupo para a RTP esta canção que foi apresentada como genérico dos Jogos Sem Barreiras que decorreram em duas edições em Vizela, uma nos extintos Campo de Tiro e outra no Campo Agostinho de Lima.

RIO VIZELA
Na serra onde nasceste
Na solidão
Dos teus pobres rochedos
Ouvem-se as aves
Que estão a cantar
Cantigas que são de amor
Que são de amor
Que eu tanto quero amar.
Rio Vizela
Vem ouvir esta canção
Que é o sofrer
Do meu coração.
Rio Vizela!
- Meu rio que guardas em ti
Toda a ternura
Que quero alcançar
Mil segredos
Te quero contar
De histórias que em ti vivi
Que em ti vivi
Pra sempre quero lembrar.
Rio Vizela!
Vem ouvir esta canção
Que é o sofrer
Do meu coração
Rio Vizela!
-Tuas águas a brilhar
Deixam saudades
Que fazem chorar
Em tuas margens
De sonho deixei
Minha alma perdida aclamei
Por um grande amor
Que lá encontrei.
Rio Vizela
Vem ouvir esta canção
Que é o sofrer
Do meu coração
Rio Vizela
Rio Vizela
Rio Vizela.


(NB - Histórico incompleto, agradecendo-se colaboração)


Partilhar