Morreu Carlos Ribeiro ex locutor da Rádio Vizela

 


Tinha 68 anos de idade. Foi dos maiores locutores da Rádio Vizela por onde passou na década de 90. Na foto, no jantar de aniversário da Rádio Vizela em 2011. Faleceu ontem à noite vítima de cancro (galopante) e o seu funeral realiza-se amanhã, sábado pelas 10 horas na Igreja de Gandarela de Basto encontrando-se o corpo em câmara ardente na Capela da mesma paróquia.

A notícia do seu falecimento foi publicada pelo deputado Miguel Teixeira de Terras de Basto amigo pessoal de Carlos Ribeiro que residia em Gandarela de Basto.


Carlos Ribeiro, solteiro, fez milhares de amigos entre os seus ouvintes nas várias rádios em que passou inclusive em Vizela. 

Primava pelo brio profissional, pela sua simplicidade e ação sem nunca enveredar por vedetismos ocos como acontece com tanta gente do microfone e da tv por este Portugal. 

Colaborou com diversas instituições de Vizela para quem fez apresentações de espetáculos,  gravações várias em vídeo ou audio etc. Chegou a apresentar no Parque das Termas a Eleição da Rainha das Festas.

Nos últimos anos dedicava-se profissionalmente ao aluguer de material de som para festas e eventos solenes.

Há cerca de um mês, num almoço em Cabeceiras de Basto com o seu amigo Manuel Marques, também ex locutor da Radio Vizela, Carlos Ribeiro combinou passar por Vizela para voltar a reunir com os amigos vizelenses. A sua atividade profissional e problemas de saúde adiaram a sua visita que já não se realizará infelizmente. 

As redes sociais têm recebido muitos comentários carinhosos e de pesar neste dia da partida de Carlos Ribeiro.


Nota do deputado Miguel Teixeira

RIP Carlos Ribeiro 


"Partiu" um comunicador de excelência e uma das grandes vozes da Rádio nas Terras de Basto 

Conhecemo-nos por alturas de Julho ou Agosto de 1994, em data que não consigo precisar.


Bateu à porta do meu gabinete no espaço onde funciona presentemente a dependência de Cabeceiras de Basto do Crédito Agrícola do Minho, ali na Rua Antunes Basto, em frente ao Hospital da Misericórdia. 

Apresentou-se e disse que possuía uma aparelhagem de som apetrechada tecnicamente, que permitiria "garantir música ambiente" em toda a vila (Praça da República,  Boavista e Campo do Seco), nos dez dias da Feira de S. Miguel, algo que precisávamos.

Fechámos ali mesmo a colaboração.

Nos anos/ décadas seguintes, o Carlos Ribeiro haveria de apoiar tecnicamente as iniciativas promovidas pelos Pelouros da Cultura, Educação e Juventude da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto. 

Há cerca de dois anos atrás, almoçamos juntos no "Churrasquinho" e tantos anos depois haveria de me recordar o momento em que nos conhecemos e em que "Cabeceiras" lhe "abriu as portas".

O Carlos Ribeiro era um jornalista com "carteira assinada", correspondente do jornal Correio da Manhã em Terras de Basto, mas foi sobretudo um enorme comunicador, uma das grandes vozes da rádio na nossa região. 

No tempo das "rádios piratas" impulsionou a Rádio Alto Basto, na sua vila de Gandarela de Basto e mais tarde haveria de vincar o seu talento noutras estações de rádio,  como a Rádio Marcoense ou a Rádio Região de Basto, em Celorico de Basto.

Mas foi sobretudo à Rádio Voz de Basto que dedicou grande parte da sua vida radiofónica,  colaborando com aquela estação cerca de 27 anos e, com a sua enorme experiência,  ajudando a integrar jovens comunicadores que tornaram a rádio atrativa, captando o auditório,  com "programas da manhã" repletos de imaginação e onde se processava facilmente uma interação com os ouvintes.

O Carlos Ribeiro deixou a sua marca na cultura, no jornalismo e na informação nas Terras de Basto, mas também passou pela atividade política,  tendo sido durante vários anos um competente Secretário do Gabinete de Apoio à Presidência da Câmara de Celorico de Basto, sua terra natal, nas Câmaras presididas pelo Senhor João Pulido do CDS/PP.

No dia em que o parlamento votou a elevação de Gandarela de Basto à categoria de vila, em 2001, na sequência de um projeto de lei do qual fui o primeiro subscritor, telefonou-me para o parlamento a rigozijar-se com o facto, enviando-me um abraço sentido.

O Carlos era extremamente bairrista e alguém que amava verdadeiramente a terra que o viu nascer, contribuindo sempre para a sua divulgação nos locais e festas que apresentava em vários pontos da região, ajudando  dessa forma ao seu desenvolvimento.

Parte cedo demais, com apenas 68 anos, sobretudo um amigo, que primou sempre pela isenção e correção nos contactos que fomos mantendo ao longo da vida, com um "coração enorme" e sempre disposto a ajudar, mas com um singular talento, capacidade de comunicação e interação com os ouvintes.

À sua família, neste momento difícil,  envio um abraço solidário e a expressão do mais vivo pesar.

Que a sua alma descanse em paz."

MIGUEL TEIXEIRA 

Partilhar